Quanto ganha um biólogo marinho nos Estados Unidos?

O profissional estuda a composição e biodiversidade dos organismos em diversos ambientes, encontrando mercado promissor em outros países.

0

As preocupações com o meio ambiente têm impulsionado a procura por estudos e carreiras relacionadas ao tema. A demanda se dá pela necessidade de cuidar do planeta em que vivemos e deixaremos para as gerações futuras. Uma das profissões de destaque é a de biólogo marinho, cuja importância é cada vez mais reconhecida em países como Brasil e Estados Unidos.

Falando nisso, você sabe quanto ganha um biólogo marinho nos Estados Unidos?

Antes de falarmos sobre questões remuneratórias, é necessário conhecer e entender o que faz um biólogo marinho. Este é o profissional responsável pelo estudo da composição e biodiversidade dos organismos que vivem nos ambientes aquáticos. Isso inclui tanto a vida marinha quanto a existente em lagos, rios ou aqueles criados em cativeiro. As análises identificam hábitos, características e comportamentos destes seres vivos. 

Qualificação exigida do biólogo marinho

Se você adora a vida aquática associada à Biologia, talvez tenha encontrado a carreira certa! Mas, para se tornar um biólogo marinho, antes é preciso ter graduação em Biologia e, preferencialmente, um mestrado na área. Dependendo do instituto ou empresa de pesquisa, o profissional deve possuir, ainda, um doutorado, mesma exigência presente para quem quer seguir carreira acadêmica. 

Quanto ganha um biólogo marinho nos Estados Unidos?

O salário médio de um biólogo marinho nos EUA não está entre os maiores, mas chega a patamares razoáveis dependendo da instituição para a qual o profissional trabalha. Em média, o salário mensal de um biólogo marinho por lá é de U$ 5,3 mil, mas pode chegar a U$ 8 mil conforme a titularidade, experiência e organização. 

E qual é o caminho para um brasileiro se tornar um biólogo marinho nos país? 

Se a graduação foi feita no Brasil, o primeiro passo é validar o diploma de Biologia. Nos Estados Unidos, as regras para validação de diploma podem ser consultadas no site do Ministério das Relações Exteriores. Existe, ainda, a possibilidade de fazer sua graduação no próprio país. Uma das instituições mais recomendadas é o Departamento de Ecologia, Evolução e Biologia Marinha da Universidade da Califórnia. 

São cerca de 25 grupos de pesquisa vinculados ao corpo docente com ênfase no reino marinho oferecidos em uma das instituições acadêmicas mais renomadas do mundo.

E quanto ao mercado de trabalho? Obviamente, o ideal é buscar cidades litorâneas, especialmente aquelas nas quais estão sediadas universidades, instituições de pesquisa e organizações privadas que cuidam da vida marinha.

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.