Nove pontos turísticos gratuitos para você curtir na bela Foz do Iguaçu

Conhecida pelas belezas naturais, Foz do Iguaçu tem atrações que vão além das magníficas Cataratas sem tirar a mão do bolso.

- Tempo de leitura: 10 minutos -

Cataratas do Iguaçu, Usina de Itaipu e Parque das Aves. Quando falamos em Foz do Iguaçu, logo nos vem à mente a imagem das magníficas quedas de uma das 7 maravilhas da natureza ou das imponentes turbinas da Hidrelétrica. No entanto, além destas atrações imperdíveis, existem nove pontos turísticos gratuitos para você curtir na bela Foz do Iguaçu para equilibrar e economizar na viagem. 

A cidade Foz do Iguaçu, localizada no oeste do estado do Paraná, não é, de fato, um destino caro. A alimentação é barata, além de que o transporte público funciona e leva o turista a qualquer lugar. O que, muitas vezes, encarece a viagem são os ingressos cobrados nas principais atrações – preços que, também, são relativamente baratos, quando comparados com outras cidades. 

Booking.com

No entanto, é sempre bom dar uma pausa nos gastos e expandir o roteiro para lugares gratuitos que traduzem a essência do lugar. Muitos deles, inclusive, fogem um pouco da muvuca e permitem paz, aliada à economia. Conheça, a seguir, nove pontos turísticos gratuitos em Foz do Iguaçu, cidade na Tríplice Fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai) com vários encantos. 

O que fazer de graça em Foz do Iguaçu?

1 Templo Budista

Templo Budista
Templo Budista

A Tríplice Fronteira abriga comunidades chinesas atuantes e um pouco de sua espiritualidade pode ser conhecida no Templo Budista ou Chen Tien. Situado em ponto alto da cidade, próximo ao Rio Paraná, o templo vem, aos poucos, integrando a rota de quem visita Foz. O parque tem mais de 120 esculturas, incluindo o Buda Maitreva de 7 metros de altura. Cada uma tem um significado e todas estão viradas para o pôr-do-sol.

O segundo maior templo budista da América Latina foi construído em 1996 e, devido sua posição privilegiada, oferece uma vista incrível da cidade. Por isso, além de oferecer maior conhecimento sobre o budismo, é lugar para orações e meditações. Funciona de terça a domingo, das 9h30 às 17h00. O acesso por ônibus é um pouco mais difícil, por isso, o ideal é ir de carro, táxi ou aplicativo. 

Onde fica: Rua Dr. Josivalter Vila Nova, 99 – Jardim Califórnia.

2 Mesquita Omar Ibn Al-Khattab

Mesquita Omar Ibn Al-Khattab
Mesquita Omar Ibn Al-Khattab

A Mesquita Omar Ibn Al-Khattab ou Mesquita Muçulmana é mais uma construção que permite conhecer religiões poucas difundidas no país. Foz do Iguaçu tem a segunda maior comunidade árabe e a maior islâmica do Brasil. Tanto que a trajetória destas pessoas, a maior parte de origem libanesa e síria, se confunde com a própria história da cidade. A construção da Barragem de Itaipu trouxe aumento considerável da população. 

Consequentemente, o comércio na Tríplice Fronteira disparou e várias lojas de famílias árabes abriram as portas na cidade. A intensidade da cultura médio-oriental se faz presente ainda hoje (basta uma caminhada pela Avenida JK, a principal da cidade, para comprovar). Pois bem, voltando à mesquita, a construção tem mais de 15 metros de altura, arquitetura marcante, texturas em arabesco de diversos tons de azul e a cúpula com cerca de 400m².

A mesquita construída a partir de 1981 é destinada à devoção do povo árabe e aberta à visitação, mas claro que possui regras. Todos devem deixar o calçado na entrada do templo enquanto as mulheres recebem um véu para cobrir os cabelos e ombros. Também é necessário vestir roupas com comprimento abaixo do joelho, conforme demanda a religião muçulmana. Nem é preciso falar que o silêncio é mandatório. 

Além disso, é importante fazer mais algumas pontuações quanto aos costumes. Na mesquita, são feitas cinco orações diárias, momentos nos quais as visitas não são permitidas. A religião sunita é guiada pelo Alcorão e, segundo as escrituras, homens e mulheres devem rezar em lugares separados. Ademais, existe o chamamento, ato que funciona como os sinos das igrejas católicas. 

As visitas guiadas são feitas entre 9h e 11h30 e das 14h às 17h30, de segunda à sábado. 

Onde fica: Rua Meca, 599 – Jardim Central.

3 Zoológico Bosque Guarani

Zoológico Bosque Guarani
Zoológico Bosque Guarani

O Bosque Guarani é um passeio perfeito para aliar relaxamento e consciência ambiental. Inaugurado em 9 de junho de 1996, o bosque é fruto da recuperação de uma área degradada que foi transformada em espaço de lazer, educação ambiental e turismo. Cercado por muita natureza, o local abriga animais de diversas espécies, muitos deles resgatados, em seu Zoológico

Localizado no centro de Foz do Iguaçu, oferece passeios seguros que agradam à família inteira, especialmente as crianças. Próximo ao zoológico, há o letreiro colorido de Foz do Iguaçu, aquele que toda cidade turística tem e aparece nas fotos. Para quem gosta de artesanato e comidas locais, a Feirinha do Bosque Guarani é realizada toda sexta-feira, em frente à entrada do parque. 

As barraquinhas valorizam culturas e etnias dos moradores de Foz através de itens como quadros pintados à mão, bolachas caseiras, pulseiras e comidas típicas. 

Onde fica: Rua Tarobá, 875 – Centro. 

4 Calçadão da Avenida Paraná

Calçadão da Avenida Paraná
Calçadão da Avenida Paraná

O Calçadão da Avenida Paraná fica próximo ao Shopping JL, no centro da cidade, e é ideal para quem gosta de atividades físicas ao ar livre. O lugar foi reformado recentemente e tem pista de corrida, parquinho para crianças, quadras esportivas, academia para melhor idade e intensa área verde.

Onde fica: Avenida Paraná – Centro. 

5 Gramadão

Gramadão
Evento no Gramadão

O Gramadão da Vila A é o passeio perfeito para a tarde de domingo. O espaço possibilitam tudo quanto é tipo de atividades de lazer, recreação e esportes que se possa imaginar! Famílias inteiras se juntam para jogar bola, fazer piquenique, dar uma boa caminhada, usar a academia ao ar livre e tomar o famoso ‘’tererê’’, bebida típica feita com erva mate e consumida bem gelada. 

O parque tem ainda um palco onde são realizadas diversas apresentações culturais. A Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, por exemplo, leva para lá eventos organizados pela Itaipu, além de outros beneficentes. 

Onde fica: Avenida Silvio Américo Sasdelli – Vila A de Itaipu.

6 Cognópolis

Cognópolis
Tertuliarium de Cognópolis

Cognópolis significa cidade do conhecimento ou do saber. O bairro foi criado em 2009 em área com 7 milhões de m². Desse total, 24 instituições, 11 condomínios residenciais e 35 laboratórios ocupam 1,7 milhão de m² de muita beleza arquitetônica. No meio disso tudo, está o Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC), centro global de conhecimento onde mil voluntários escrevem a maior enciclopédia coletiva do mundo!

A conscienciologia é um movimento dissidente do espiritismo e de cunho pseudo científico fundado pelo médico e médium brasileiro Waldo Vieira. No CEAEC, o visitante é imerso em experiência profunda de conhecimento e saber sobre o tema. Para se ter uma idéia, há um acervo com livros sobre parapsiquismo, 300 coleções, além de gibiteca em um local chamado Holociclo. 

No Tertuliarium, um tipo de plenário circular, acontecem discussões acerca da consciência e suas manifestações. Na Aleia dos Gênios da Humanidade, percurso de 260 metros de comprimento, estão expostos bustos de figuras históricas ligadas ao mundo do conhecimento e ciência. Em suma, é muita gente reunida em um espaço enorme para estudar sobre vidas passadas. 

Onde fica: Rua da Cosmoética, 1635 – Cognópolis. Funcionamento de segunda à domingo, das 09h às 17h.

7 Duty Free Shop

Duty Free Shop
Duty Free Shop, em Puerto Iguazú

Muita gente vai à Foz do Iguaçu já pensando nas comprinhas feitas do outro lado da Ponte da Amizade, na paraguaia Ciudad del Este. Ok, perambular por lá é inevitável, mas o Duty Free Shop, em Puerto Iguazu, também é parada obrigatória. O shopping cheio de produtos importados fica na fronteira do Brasil com a Argentina e já é avistado de longe, graças à arquitetura moderna e decorações temáticas.

Quer fazer compras no Paraguai? Então confira: Como ir de Foz do Iguaçu para o Paraguai?

Lá, encontra-se de tudo, desde perfumaria a artigos de design, passando por cosméticos, eletrônicos, bebidas, artigos esportivos, roupas, jogos e acessórios. Mesmo que não vá levar nada, vale a visita para conhecer o lugar. 

Onde fica: Ruta Nacional 12 Km 1645, N3370, Puerto Iguazú.

8 Marco das Três Fronteiras (lado argentino)

Marco das Três Fronteiras (lado argentino)
Marco das Três Fronteiras na Argentina

O Marco das Três Fronteiras, pelo lado argentino, tem entrada franca e uma vista linda do Rio Paraguai. O local é o ponto exato da Tríplice Fronteira e cada um dos países (Brasil, Argentina e Paraguai) tem o seu, construindo obeliscos pintados nas cores das respectivas bandeiras. O obelisco argentino é branco e azul, ladeado por um grande chafariz. De lá, é possível ver os marcos brasileiro e paraguaio. Ah, tente visitar no fim da tarde para assistir ao belo espetáculo do pôr do sol!

Onde fica: Avenida Rio Iguazu y Avenida Tres Fronteras – Puerto Iguazú, Argentina

9 Visitar Puerto Iguazú

Visitar Puerto Iguazú
Feirinha de Puerto Iguazú

Falamos em dois pontos do lado argentino e, por que não, visitar direito a charmosa cidade de Puerto Iguazú? Tranquila, mais parece uma vila com casinhas de madeira e ruas estreitas. Na feirinha, que mais parece um mercado, pode-se comprar produtos típicos muito baratos, como queijos, azeitonas, dulce de leche, chimichurri e alfajores (mas, cuidado com as latinhas falsificadas da famosa marca Havana). 

A feirinha fica na Avenida Brasil e, quase do outro lado, há uma mercearia que vende a famosa cerveja Quilmes a preços módicos. Com sorte, dá para encontrar garrafinhas da saudosa Mirinda, refrigerante de laranja que fez a alegria das festinhas infantis brasileiras até meados da década de 90.

Para ir a Puerto Iguazú, basta pegar os ônibus que passam pelo centro de Foz e pagar a passagem direto para o cobrador. Não se esqueça do passaporte ou identidade recente, pois o turista passa pela alfândega para fiscalização de documentos. 

Mais dicas para economizar

Como já falamos, Foz do Iguaçu não é uma cidade cara para visitar, mesmo considerando os ingressos na maior parte das atrações. Um dos pontos de maior economia está no transporte público, cujas linhas levam o visitante a praticamente todos os pontos turísticos. Obviamente, em horários de pico, os ônibus são lotados, portanto, invista em horários saindo em períodos alternativos. 

Sempre que possível, embarque no Terminal de Transporte Urbano (TTU), de onde saem todas as linhas. Nos arredores, também há os pontos dos ônibus para Ciudad del Este e Puerto Iguazu. Para saber mais, acesse a tabela Que linha utilizar e as informações detalhadas de cada linha. Também é possível economizar na hospedagem, aproveitando a vasta rede hoteleira oferecida pela cidade. 

No centro, há hostels e hotéis de diferentes categorias, além de quartos e apartamentos que podem ser reservados por sites especializados, como o Airbnb. Na Avenida JK e arredores, estão boa parte dos estabelecimentos, além de várias opções de restaurantes, lanches (prove o autêntico shawarma em um dos vários estabelecimentos árabes espalhados pela avenida) e mercados. 

Mas, se quiser opções um pouco mais requintadas, tanto para hotéis quanto baladas, fique na Avenida Jorge Schimmelpfeng ou ruas próximas. Nelas, estão bares e boates, além de restaurantes mais intimistas. 

E aí, gostou das dicas de pontos turísticos gratuitos em Foz do Iguaçu? A cidade é linda e, se você já teve a oportunidade de visitá-la, conte para a gente o que achou!

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.