Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, o lar do temido Kilauea

Reconhecido como Patrimônio da Humanidade, o parque tem sete zonas ecológicas que abrigam também fauna e flora diversas.

- Tempo de leitura: 8 minutos -

O Havaí é um arquipélago pertencente aos Estados Unidos e, também, o paraíso dos surfistas e amantes da natureza. De fato, o território é composto pela combinação de cinco vulcões do tipo escudo, ou seja, tem base ampla, além de erupção lenta e silenciosa. Não à toa, o estado tem o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí que, além de abrigar o gigante Kilauea, monitora as atividades vulcânicas havaianas. 

Cone vulcânico de Pu'u 'O'o na zona de rift oriental do Vulcão Kilauea
Cone vulcânico de Pu’u ‘O’o na zona de rift oriental do Vulcão Kilauea

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí é administrado pelo National Park Service (NPS) e ocupa 1.335 km² da Big Island. Um dos destinos mais populares do Havaí devido às paisagens deslumbrantes, é o lar de dois vulcões ativos. Um deles é o Kīlauea, em atividade desde 1983 e expele até 500.000 m³ de lava diariamente. O parque tem mais de 241 quilômetros de trilhas que passam por crateras, desertos e florestas tropicais.

A seguir, saiba mais sobre o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, como chegar e o que fazer para visitar o local.     

Onde fica o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí fica a 45 minutos de carro ao sul da cidade de Hilo e, também, a 2,5 horas de Kona. A maior parte dos visitantes chega até lá através de passeios pelos vulcões. Assim, dá para visitar o parque indo de ônibus, embora o serviço seja limitado, ou carro. Neste caso, é necessário pagar uma taxa de entrada que inclui todos os passageiros e o estacionamento.

Conheça o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí 

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, como já mencionado, abriga dois vulcões ainda ativos. Um deles é o Mauna Loa, cuja última erupção aconteceu em 1984. O outro é o Kilauea, um dos vulcões mais ativos do mundo

Mas, o parque não é apenas um local para assistir a erupções e ver lavas jorrando de perto! Lá dentro, também tem um fascinante museu de ciências e história natural, além de centro de visitantes. 

Daqui a pouco, vamos falar detalhadamente sobre as atividades disponíveis no parque, mas, além de ver a cratera de vulcões, é possível fazer trilhas, conhecer o museu e visitar o próprio parque. 

Ao chegar ao parque, o primeiro passo é passar pelo centro de visitantes, o Kīlauea Visitor Center. Lá, o turista consegue mapas e dicas do que fazer, além de começar sua ambientação. 

Existem três tipos de passeio, conforme o tempo disponível do visitante – visitar as Lava Tubes, cavernas formadas pelas lavas dos vulcões; os “vents”, de onde sai fumaça do solo; e, finalmente, o mirante de onde se tem a melhor vista para o parque e, também, fica o museu do vulcão. Quem dispõe de mais tempo ainda pode escolher uma das várias trilhas disponíveis pelo parque.

O que fazer no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí

» Kīlauea Visitor Center (Centro de Visitantes de Kilauea)

Kīlauea Visitor Center - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Kīlauea Visitor Center (Robert Linsdell from St. Andrews, Canada, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons)

O visitante passa um tempo para se acostumar à geografia do parque, pegar mapas ou participar de uma visita guiada. Entre as experiências,  está uma pequena aula sobre como os vulcões são formados e, porque alguns apresentam maior atividade que outros. Ademais, há a exibição de um curta metragem  que conta a história do parque e  importância dos vulcões para o povo havaiano. 

» Crater Rim Drive

Crater Rim Drive - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Crater Rim Drive (imagem: nps.gov)

A Crater Rim Drive é uma estrada que circunda o topo do vulcão Kīlauea. Vamos aproveitar para falar mais um pouco sobre ele? 

O Kilauea tem 1.200 m de altitude e está em impressionante atividade. Para se ter uma ideia, lava que o vulcão jorra diariamente seria suficiente para pavimentar 32 km de uma rodovia com pista dupla.

A lava chega a mais de 1000 °C, como um rio incandescente e consome tudo o que encontra pelo caminho até chegar no mar. Isto é, a vegetação ao redor da cratera foi devastada, embora as cinzas tornem o solo extremamente fértil. Assim, funciona como uma espécie de adubo natural, por isso, assim que a lava passa, a vegetação renasce. 

A última erupção, em 1983, destruiu quase 200 estruturas ao redor. A aldeia de Kalapana, por exemplo, foi toda coberta pela lava derretida. 

Cratera do Vulcão Kilauea - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Cratera do Vulcão Kilauea

Bom, voltando a Crater Rim Drive, é possível ver o fluxo de lava vindo do centro da Terra. Entretanto, a visita é feita a uma distância segura, mesmo que o monitoramento torne qualquer erupção totalmente previsível. A partir do topo do Kilauea, pela Crater Rim Drive, parta por uma das trilhas demarcadas para permanecer em segurança.

» Trilhas

Trilha Crater Rim Trail - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Trilha Crater Rim Trail, no Parque Nacional dos Vulcões

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí conta com mais de 241 quilômetros de trilhas que passam por crateras, desertos e florestas tropicais. A Crater Rim Trail inclui vistas espetaculares, saídas de vapor e plantas incríveis, atravessando a cratera do cume de Kilauea. Descendo pela caldeira do Kīlauea, os caminhos chegam a levar até Byron Ledge, Kīlauea Iki e Nāhuku.

Explore também os fluxos de lava de Mauna Ulu e caminhe até o topo do Cone Cinzento de Pu’u Huluhulu. Historiadores vão adorar caminhar pelo campo de lava até o maior grupo de petróglifos do Havaí, o Pu’u Loa.

Mauna Ulu - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Mauna Ulu (Navin75, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons)

Ande ao longo de uma parte antiga da Crater Rim Drive até a cratera Keanakāko’i e observe a enorme Halema’uma’u. Na Ha’akulamanu, a incrível experiência mostra onde os gases vulcânicos depositaram cristais coloridos.  

Banco de enxofre na Ha’akulamanu - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Banco de enxofre na área conhecida como Ha’akulamanu

Pela Thurston Lava Tube, a trilha atravessa a exuberante floresta tropical até chegar a uma caverna onde um rio de lava fluiu 500 anos atrás. 

Caverna da Thurston Lava Tube - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Caverna da Thurston Lava Tube

A chamava Devastation Trail, por sua vez, é um caminho pavimentado através da paisagem em recuperação soterrada pelas cinzas da erupção do Kīlauea em 1959. 

Devastation Trail - Parque Nacional dos Vulcões do Havaí
Devastation Trail (imagem: nps.gov)

Entre as outras trilhas, o parque oferece:

  • Waldron Ledge 
  • Byron Ledge 
  • Kipukapuaulu
  • Maunaki

» Jaggar Museum (Museu Jaggar)

Vista da gigantesca Halema'uma'u do mirante do Jaguar Museum
Vista da gigantesca Halema’uma’u do mirante do Jaguar Museum

O Jaggar Museum é o lugar certo para saber mais sobre a terra e o próprio parque, considerado sagrado para os hawaianos. O museu também tem sismógrafos que monitoram a atividade sísmica em tempo real. 

Ainda, inclui vista panorâmica para a fumegante cratera Halema’uma’u, a partir do seu mirante. Segundo a mitologia havaiana, essa cratera é considerada o lar de Pele, deusa do vulcão.

Informações básicas

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí está aberto 24 horas, diariamente, incluindo feriados. O Centro de Visitantes de Kilauea está localizado na Crater Rim Drive, a uma curta distância da estação de entrada, logo à direita. 

A Unidade Kahuku fica na Hwy 11, entre os marcadores 70 e 71 milhas ao sul de Hilo. O funcionamento é de quarta a domingo, das 9h às 16h.

A Hawaiʻi Pacific Parks Association opera a livraria do parque no Centro de Visitantes de Kilauea. O horário de funcionamento é das 9h às 17h, diariamente. 

Quanto custa a entrada no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí?

Veja a tabela abaixo: 

  • US$ 30,00 por veículo não comercial particular (capacidade 15 ou menos) 
  • US$ 15,00 por pedestre ou bicicleta 
  • US$ 25,00 por motocicleta 
  • US$ 55,00 Hawai’i Tri-park Annual Pass

O Serviço de Parques Nacionais designou entrada grátis nos seguintes dias, em 2021:

  • Segunda-feira, 18 de janeiro – Dia de Martin Luther King Jr.
  • Sábado, 17 de abril – Primeiro dia da semana do Parque Nacional
  • Quarta-feira, 4 de agosto – aniversário de um ano do Great American Outdoors Act
  • Quarta-feira, 25 de agosto – Aniversário do National Park Service
  • Sábado, 25 de setembro – Dia Nacional de Terras Públicas
  • Quinta-feira, 11 de novembro – Dia dos Veteranos

Os grupos não comerciais que entrarem no parque em ônibus ou veículo com capacidade para 16 pessoas ou mais pagam US$ 15,00 por pessoa a bordo. Menores de 15 anos estão isentos da taxa de entrada.

Dicas importantes para visitar o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí

Uma nova erupção no cume do vulcão Kīlauea atraiu centenas de visitantes ao Parque Nacional dos Vulcões do Havaí. O parque permanece aberto 24 horas e o público deve seguir estas precauções:

  • As erupções vulcânicas podem ser perigosas e mudar a qualquer momento. Fique em trilhas e mirantes marcados, evite rachaduras de terra, bordas de penhascos. Não entre em áreas fechadas.
  • Gases vulcânicos perigosos vazam da cratera, representam um perigo para todos, especialmente pessoas com problemas cardíacos ou respiratórios, bebês, crianças pequenas e mulheres grávidas. Para obter mais informações sobre a qualidade do ar, visite: https://www.hawaiiso2network.com/ 
  • Diminua a velocidade e dirija com segurança. Conte com longas esperas por vagas de estacionamento em pontos de observação populares, como o mirante de Kīlauea.
  • A 1.219 metros, o cume do Kilauea pode esfriar  a qualquer momento. Portanto, traga uma capa de chuva, use calças compridas e sapatos fechados.
  • Algumas caminhadas guiadas passam por terrenos acidentados, logo, não são recomendadas para viajantes com mobilidade reduzida. 

Mais informações sobre visitas ao Parque Nacional dos Vulcões do Havaí podem ser obtidas pelo site: https://www.nps.gov/havo/index.htm 

Interessante aprender mais sobre o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, não é mesmo? Para ver outros pontos turísticos famosos no mundo, continue navegando pelo nosso site! Saiba, por exemplo, a história e fatos curiosos sobre Petra, os portões para o inferno da Cratera de Darvaz e o passeio pelo labirinto verde de Nova Petrópolis.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.