O que fazer de graça em Montevidéu, a bela cidade às margens do Rio da Prata

A capital uruguaia é um charme com seu mercado de flores, ramblas e edifícios coloniais, além de estrelar excelente índice de qualidade de vida.

- Tempo de leitura: 7 minutos -

A República Oriental do Uruguai ou, simplesmente, Uruguai tem tamanho inversamente proporcional à riqueza de sua cultura. O pequeno país da América do Sul é eclético, tem mentalidade empreendedora próspera e, por isso, ostenta alto padrão de vida. Nem por isso, é um destino caro de visitar e, por isso, recebe cada vez mais turistas, principalmente brasileiros. Sua bela capital às margens do Rio da Prata é um belo exemplo disso e, para melhorar ainda mais o cenário, confira o que fazer de graça em Montevidéu.

Relatório recente da Mercer, líder global de consultoria, classificou Montevidéu como a melhor cidade da América Latina para se viver. Motivos não faltam! A mistura de edifícios coloniais, neoclássicos e pós-modernos domina o horizonte da capital uruguaia, embora grande parte da arquitetura lembre a forte influência européia na cultura e no patrimônio do país. Ainda há muitos parques, como os Parques Battle, Prado e Rodo, todos com atrações que vão de lagos artificiais a exposições ao ar livre, espaço para esportes e entretenimento.

Museus e galerias de arte também pontilham a cidade, sendo ótimas maneiras de aprender mais sobre a cidade que sempre cresce sem esquecer suas raízes. Montevidéu tem a sensação cosmopolita de Buenos Aires misturada à alegria de viver do Brasil. Já quer fazer as malas? Então, confira, a seguir, uma pequena lista do que fazer na capital do Uruguai sem gastar um centavo!

Dez atrações turísticas gratuitas em Montevidéu

1 Plaza Independencia

Plaza Independencia
Plaza Independencia com o Monumento a José Gervasio Artigas ao centro

A Plaza Independencia é a praça principal de Montevidéu. Originalmente projetado em 1937, o espaço verde abriga um mausoléu e monumento dedicados a José Gervasio Artigas, líder militar que lutou durante a Guerra da Independência, no início de 1800. O primeiro é acessado pela escada que fica no subsolo. Contém uma urna com os restos mortais de Artigas, além de placas que comemoram sua vida e esforços militares. As 33 palmeiras na praça homenageiam os homens liderados por Juan Antonio Lavalleja e de la Torre (que, mais tarde ,se tornaria presidente do Uruguai) na mesma guerra.

2 Mercado del Puerto

Mercado del Puerto
Mercado del Puerto

O Mercado del Puerto é o melhor lugar para experimentar carnes e massas do Uruguai, especialmente o famoso churrasco de asado. Situado na área do porto, o espaço é cheio de restaurantes, cafés e parrillas onde os visitantes podem provar o matambre (rolo de carne recheado) e a morcilla grelhada. A comida é cozida em fogo aberto, bem na frente dos clientes, usando métodos e especiarias tradicionais. Na parte externa, músicos e artesãos se reúnem aos finais de semana para vender seus produtos e adicionar cor à área.

3 Pocitos

Pocitos
Playa de los Pocitos

Pocitos é uma das áreas mais populares de Montevidéu, ladeada pelo oceano de um lado e a Rambla (uma avenida larga com a maior calçada contínua do mundo) do outro. Dá para andar de bicicleta, correr ou compartilhar um mate com os amigos. A Playa de los Pocitos também abriga eventos náuticos durante todo o ano, além de restaurantes sofisticados, lojas de luxo, belos hotéis e apartamentos de temporada com vista para a água. Vários edifícios historicamente importantes também estão localizados ali, incluindo a Igreja de São João Batista, do século XIX, e a Plaza Tomás Gomensoro.

4 Palácio Salvo

Palácio Salvo
Palácio Salvo

Construído na década de 1920, o Palácio Salvo teve como ideia inicial o projeto de um hotel. Contudo, o prédio dos irmãos Salvo tornou-se escritório e um local residencial. Por um tempo, foi o edifício mais alto da América Latina. O Palácio Salvo ainda é de propriedade particular, exceto o espaço ocupado pelo Museu do Tango, um ótimo lugar para conhecer a história e cultura do ritmo, além de assistir pequenas apresentações ao vivo.

5 Parque del Prado

Parque del Prado
Parque del Prado

O Parque del Prado, localizado no bairro de mesmo nome, é o maior parque urbano de Montevidéu, estendendo-se por uma área de 106 hectares. Cercado por ruas arborizadas e mansões do século XX, oferece muito espaço para piqueniques, passeios ao sol e lugares com sombra para descansar. O riacho Miguelete flui pelo parque que, também, abriga o Museu Blanes, estátuas de notáveis ​​uruguaios, o Jardim Botânico e outras atrações.

6 Museo del Carnaval

Museo del Carnaval
Museo del Carnaval

O Uruguai tem as celebrações de Carnaval mais longas do mundo, começando em meados de janeiro e estendendo por 40 dias. Dada a magnitude da festa, não é surpresa que Montevidéu tenha seu próprio museu dedicado à história do festival, mostrando a influência dos escravos africanos. Até porque a cidade acolhe as maiores celebrações, incluindo percussão, dança de candombe e uma série de eventos culturais que acontecem nas ruas, praças e locais ao ar livre.

Uma exposição especial sobre candombe relata o início do festival com as danças e ritos realizados por escravos trazidos para o Uruguai, além dos diversos tipos e tamanhos de bateria usados ​​nas apresentações. Fotos e documentos da década de 1930, quando os Carnavais estavam no auge e rivalizavam com as performances da Broadway, também estão disponíveis.

7 Museo Andes 1972

Museo Andes 1972
Museo Andes 1972

Em 1972, o voo 571 da Força Aérea do Uruguai, que viajava para o Chile com uma equipe de rugby, caiu nos Andes. O acidente matou 29 pessoas e forçou os sobreviventes a recorrerem ao canibalismo, a fim de passar 72 dias em condições de congelamento. A tragédia que, inclusive, foi contada no filme Vivos, é narrada em detalhes no Museo Andes 1972 através de fotos, livros e documentos, além de vários objetos recuperados do acidente. O museu também possui vídeos e documentos dos próprios sobreviventes, contando sua própria história.

Apesar da história horrível por trás disso, o museu concentra-se em uma mensagem de esperança e descreve a incrível coragem dos dois sobreviventes que, finalmente, encontraram ajuda após caminhar por 10 dias longe dos destroços e sobre a neve.

8 Jardín Botánico

Jardín Botánico
Jardín Botánico Profesor Atilio Lombardo, dentro do Parque del Prado

Lugar perfeito para fugir do agito da cidade, o Jardín Botánico Profesor Atilio Lombardo, o único no país, inclui espécies de plantas nativas e de todo o mundo, além de oferecer cursos e workshops sobre vários tópicos de botânica. O Jardín Botánico está localizado dentro do Parque Prado e oferece dois quilômetros de trilhas para corrida e caminhada, um magnífico jardim de flores importadas da França e várias possibilidades para fotos sob os arcos, dentro das estufas e ao lado do riacho.

9 Fortaleza del Cerro

Fortaleza del Cerro
Fortaleza del Cerro

A Fortaleza del Cerro fica no ponto mais alto da cidade, a 134 metros acima do nível do mar, com vista para a Baía de Montevidéu. Foi construído em 1809 para proteger a cidade contra ataques navais, embora nunca tenha sofrido batalhas. Durante sua longa história, foi uma torre de vigia, hospital para leprosos e uma prisão militar, até ser convertido em museu. Hoje, os visitantes conferem o farol do século XIX e o Museu Militar (pago), que abriga uma prisão e pequena coleção de uniformes, armas, fotos e documentos. Nos arredores, há um barco militar e vistas deslumbrantes sobre o Rio da Prata.

10 Museo del Gaucho y de la Moneda

Museo del Gaucho y de la Moneda
Museo del Gaucho y de la Moneda

O Uruguai tem longa tradição dos gaúchos dos pampas e o papel desses homens na história e cultura do país pode ser conhecido no Museo del Gaucho y de la Moneda. As coleções se concentram principalmente em roupas, equipamentos para cavalos e esporas de prata e ouro. Mas, há um grande número de estátuas e itens de prata e couro feitos à mão (ambos artesanatos tradicionais). Um andar diferente do palácio possui uma pequena coleção relacionada à contabilidade e à moeda. A mistura eclética de itens inclui máquinas de contar, cofres e livros escritos à mão, além de exemplos de notas e moedas à medida que mudavam ao longo das décadas.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Assumimos que você está de acordo, mas você pode não aceitar caso prefira. Aceitar Ler Mais

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->