21 Fatos interessante sobre o Parque Nacional Kruger

O parque mais antigo e popular da África é um dos principais pontos turísticos do continente.

- Tempo de leitura: 6 minutos -

Um safári na África é o sonho de muitos aventureiros, principalmente pela oportunidade de ver a vida selvagem in loco. Ainda que o território africano disponha de várias reservas destinadas à atividade, poucas oferecem a experiência advinda do Parque Nacional Kruger. Uma das maiores reservas da África cobre uma área aproximada a 20.000 km² e abriga mais de 2.000 espécies de plantas. Confira, a seguir, 21 fatos interessantes sobre o Parque Nacional Kruger.

O Parque Nacional Kruger é o parque mais antigo da África e um dos destinos turísticos mais populares da África do Sul. Carinhosamente conhecido como o “Parque do Povo”, tem projetos de conservação e o compromisso de proteger o que, hoje, representa um santuário de vida selvagem. 

Manada de elefantes no Parque Nacional Kruger
Manada de elefantes no Parque Nacional Kruger

O Parque está situado entre as províncias de Limpopo e Mpumalanga, na região nordeste do país, fazendo fronteira com Moçambique e Zimbábue. Os limites são marcados pelos rios Crocodile e Limpopo. 

Com a extensão similar ao tamanho de Israel, o parque ganhou o status de Parque Nacional em 1926, quase três décadas após ser declarado como zona de “proibição de caça”. Veja, a seguir, alguns fatos interessantes sobre o Parque Nacional Kruger, um santuário da vida selvagem na África do Sul. 

21 fatos interessantes sobre o Parque Nacional Kruger

1 O parque abriga mais de 3.414 espécies de fauna e flora, incluindo os Big Five (leões, rinocerontes, búfalos, elefantes e leopardos), mais de 507 espécies de pássaros, 147 espécies de mamíferos, 114 répteis e mais de 2.000 espécies de plantas.

Elefante no Parque Nacional Kruger, durante safári
No Parque você pode avistar imponentes Big Five

2 Você pode ver os Big Five em um só dia, afinal, existem mais de 12.000 elefantes e 1.000 leopardos vivendo lá! Além deles, há também os Little Five (musaranho elefante, tecelão dos búfalos, tartaruga leopardo africana, formiga-leão e besouro rinoceronte)

3 As cinco árvores símbolo da África também são encontradas no parque, sendo elas o baobá (Adansonia), árvore da febre (Vachellia xanthophloea), micaia (Acacia nigrescens), marula (Sclerocarya birrea) e mopane (Colophospermum mopane).

Baobá: Parque Nacional Kruger
O Baobá é uma das árvores símbolo da África

4 Com seus quase 20.000 km² de área, o parque tem quase o tamanho de Israel, Eslovênia e El Salvador, além de ser maior que países como o Kuwait, Irlanda do Norte, Jamaica, Catar e Líbano.

5 O Parque Nacional Kruger já foi castigado pela seca em várias ocasiões. A pior foi registrada entre 1980 e 1997, um longo período que atingiu seu ápice em 1993. Porém, 23 anos depois, sob a justificativa de outra estiagem, a administração do parque abateu dezenas de hipopótamos, causando furor público.

6 O Parque fica dentro de uma zona de malária, por isso, os visitantes são aconselhados a tomar comprimidos anti-malária. 

7 Há fortes evidências de que o homem pré-histórico (Homo erectus) tenha passado pela área entre 500.000 e 100.000 anos atrás. Existem cerca de 254 locais declarados como patrimônios culturais no Parque Kruger, incluindo 130 pontos de arte rupestre. Ainda, foram encontrados mais de 300 sítios arqueológicos da Idade da Pedra, com destaque para as áreas de Thulamela e Masorini.

8 O homem por trás do desenvolvimento do Parque Nacional Kruger foi Paul Kruger, então presidente da República do Transvaal e protetor feroz da nação Afrikaner. Foi ele o responsável por estabelecer a zona de proibição de caça no parque. 

9 O parque teve um começo difícil, sofrendo ameaças por parte de caçadores, soldados que voltaram da Primeira Guerra Mundial atrás de terras para criação de ovelhas; garimpeiros em busca de ouro, cobre e carvão, além de veterinários em campanha para conter a propagação da mosca tsé-tsé. O parque foi salvo pela nova rota da South African Railways, que ia de Pretória a Maputo, que passou a acessar o parque de preservação com visitantes.  

10 O Parque Nacional Kruger já foi destino de férias das princesas Elizabeth e Margareth, quando se hospedaram em uma das primeiras pousadas de luxo construídas na reserva. A partir daí, o parque ganhou fama nacional. 

11 Conhecido como Parque da Paz, o Parque Nacional Kruger incorpora os Parques Nacionais do Limpopo e Gonarezhou, sendo então a  maior reserva de conservação da África. 

Zebras e impalas na reserva de conservação do Parque Nacional Kruger
Zebras e impalas na reserva de conservação

12 O Parque também faz parte da Biosfera Kruger to Canyons, área designada pela UNESCO como Reserva Internacional do Homem e da Biosfera.

13 Há 17 acampamentos de hospedagem no Parque Nacional Kruger, cada um com amenidades diferentes para o visitante. Neles, há quadros que mostram onde é melhor avistar os animais mais esperados, como os Big Five, com exceção dos rinocerontes, em virtude da caça ilegal. É bom lembrar que a distância entre os acampamentos é de aproximadamente uma hora. 

14 A maior distância percorrida entre dois acampamentos é registrada entre Berg-en-Dal e Punda Maria. A viagem de um para outro leva quase 17 horas… de carro!

15 Vários rios correm pelo parque, como os rios Sabie, Olifants, Crocodile, Letaba, Luvuvhu e Limpopo.

16 O período mais seco no parque é entre setembro e outubro, considerada a melhor época para ver os animais selvagens. Isso porque a grama está mais curta. Por outro lado, é vantajoso viajar entre maio e o final de agosto, quando há menos mosquitos.   

17 Apesar da preocupação em proteger a vida selvagem, existem espécies do parque em sério risco de extinção. A principal delas é o rinoceronte, além do cão selvagem africano. Entre os pássaros, preocupa a situação do Baleleur, do Calau-terrestre meridional e do abutre de cara redonda.

Cães selvagens africanos
O cão selvagem africano é uma das espécies com risco de extinção presentes no parque

18 Existem 11 entradas para o parque e é possível passear por ele dirigindo seu próprio carro. Entretanto, é necessário respeitar o limite máximo de 50 km/h e é expressamente proibido sair do veículo durante o passeio. Ah, e motocicletas não são permitidas no Kruger. 

Girafa na estrada do Parque Nacional Kruger
Não é permitido sair do seu carro quando estiver passeando pelas estradas do parque

19 Há muito o que fazer no parque além de safári, como trilhas (sempre acompanhadas por guias), golfe e ciclismo. Entre as trilhas, destacam-se as Mphongolo Trail, Olifants Backpack Trail e Lonely Bull Trail, pelas quais é possível explorar o parque a pé. Você pode encontrar um mapa com as trilhas disponíveis no site oficial do parque.

Safari no Parque Nacional Kruger
Safari no Parque Nacional Kruger

20 O Parque Nacional Kruger tem seu próprio aeroporto, o Kruger Mpumalanga Airport, que fica a sudoeste do parque, no caminho entre os portões Malelane e Numbi.   

Aeroporto do Parque Nacional Kruger
Aeroporto do Parque Nacional Kruger

21 O parque possui cobertura de celular! Bela surpresa não é mesmo? Apesar disso, não é em toda a área que você contará com rede para seu aparelho. O site oficial disponibiliza um mapa com as áreas onde você vai encontrar sinal! Confira AQUI.

Legal saber mais sobre o Parque Nacional Kruger, não é mesmo? Que tal seguir viajando pelo site e descobrir fatos interessantes sobre Teotihuacan, no México? Ou a história de Petra, na Jordânia? 

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.