A beleza e tradição do Festival das Lanternas da China

A celebração do Ano Novo Chinês chega ao seu clímax com o festival cuja tradição se estende há mais de dois milênios.

O Ano Novo Chinês, também chamado de Festival da Primavera, é cheio de rituais e significados. Celebrado por 15 dias, tem início na primeira lua nova do calendário lunar e termina com a primeira lua cheia. E, é justamente no seu encerramento que alcança o clímax com toda a beleza e tradição do Festival das Lanternas da China. Milenar, tem tradições muito antigas e carrega celebrações diversas.

Cada ano do calendário lunar é representado por um animal diferente no calendário chinês. Por isso, sempre ouvimos falar em “ano do rato”, “ano do tigre”, e por aí vai. Durante os 15 dias de comemoração, inúmeros rituais e tradições são seguidos. Entre eles, estão arrumar a casa, lançar fogos para afastar os maus espíritos, presentear os deuses protetores do lar e entregar um envelope vermelho aos mais jovens como desejo de boa sorte. 

Festival das Lanternas Chinês: Calendário chinês
Calendário chinês, no qual cada ano é representado por um animal

Em toda essa celebração, está o simbolismo das lanternas. Nos quinze dias em que o Ano Novo é comemorado, penduram-se lanternas vermelhas acesas na porta principal da casa. E, para encerrar as festas, acontece o belíssimo Yuan Xiao (y — yuán xiāo jié) ou Festival das Lanternas. Saiba mais sobre ele a seguir. 

O que é o Festival das Lanternas Chinês?

O Festival das Lanternas foi criado há cerca de 2.000 anos pelo Imperador Han Mingdi, um defensor árduo do Budismo. Diz-se que, conversando com alguns monges, descobriu que, no 15º dia do primeiro mês lunar, iluminavam os templos com lanterna para mostrar respeito ao Buda. Assim, o imperador determinou que os cidadãos fizessem o mesmo, hábito que foi ganhando força até se transformar em festival. 

Com o fim da dinastia Han, houve intenso jogo de poder e inquietação até a ascensão do imperador Wen (汉 文帝 – hàn wén dì). Até que a paz reinou novamente e, para comemorar, o governante tornou o 15º dia um feriado nacional. Neste dia, toda família acendia velas e lanternas no que ficou conhecido como 闹 元宵 (nào yuán xiāo). “Nao”, então, pode ser interpretado como diversão ou excitação.

Significados do Festival das Lanternas Chinês

Ao longo dos séculos, o festival foi desenvolvendo significados e reunindo tradições espirituais antigas, celebrando reuniões de família e sociedade. Para falar a verdade, todo o  Festival da Primavera consiste em reservar horários para os familiares. Isso inclui  jantar de reunião na véspera de Ano Novo, as visitas aos sogros no segundo dia do ano e, por fim, aos vizinhos. 

A vida até volta ao normal no 5º dia do calendário mas, religiosamente, os chineses saem às ruas no 15º dia para comemorar. O Festival das Lanternas, assim, se coloca como um momento de socialização. Mas, também configura um ritual de liberdade. Na China Antiga, as mulheres não podiam sair de casa, com exceção desta noite, quando podiam passear livremente, acender lanternas, brincar e interagir com os homens. 

Pelas várias histórias e românticas, alguns o chamam do “verdadeiro” dia dos namorados chinês, em vez de Qixi (七夕). Entre as várias atividades feitas no Festival das Lanternas, estão danças de leão, acendimento de lanternas, descobertas de enigmas e comer deliciosos bolinhos de arroz. O Festival das Lanternas tem aspectos religiosos, sendo importante no paganismo chinês antigo, budismo moderno e culturas das minorias étnicas.

Celebração do Festival das Lanternas

As celebrações do Festival das Lanternas variaram ao longo da história. Inicialmente, era chamado Shang Yuan (上元) e dedicado ao palácio celestial (ti -tiān gōng). Nesta época, as pessoas se reuniam nos quintais e prestavam oferendas aos deuses. Havia, ainda, uma lanterna acesa próximo a um lugar específico, representando o assento de deus. Isso mostra que as lanternas sempre foram a parte mais notável do festival.

E, elas também foram passando por transformações ao longo da história. A mais famosa é a lanterna Kongming (孔明灯 -kǒng míng dēng), que representa esperança, sucesso e felicidade. No passado, eram usadas para indicar segurança após um ataque. Agora, simbolizam desejos. Ela também é conhecida como a lanterna do céu (天 灯 —tiān dēng), que significa “adicionar filhos”.

Lanterna kongming no Festival das Lanternas da China
Lanterna kongming no Festival das Lanternas

O ritual ditava que os noivos ou casais sem filhos fossem presenteados com essas lanternas para receber bençãos. Já as gestantes seriam presenteadas com um par de pequenas  lanternas para desejar saúde e segurança para mãe e filho. Algumas regiões da China queimam lanternas para determinar o sexo do futuro filho, o que é feito a partir da forma das cinzas.

Hoje, existem desde pequenos globos que cabem na palma da mão até lanternas do tamanho de um carro alegórico. Algumas trazem, ainda, desenhos simbólicos. A duração do festival também foi variando. Na dinastia Ming, durava cerca de um mês! Atualmente, contudo, não é feriado nacional nem há dias de folga. Mas, alguns feriados coincidem com o Festival das Lanternas e pode ser comemorados juntos.

Tradições e atividades do Festival das Lanternas

Há muito mais que lanternas no festival! Na cidade de Fengyang, colocam-se balanços cujo simbolismo é bem importante. De acordo com um ditado popular, “Balanços no Festival das Lanternas, sem dores ano inteiro”. Em Hebei, um dos principais pontos turísticos do festival, são realizadas apresentações de jǐng xíng lā huā (井陉 拉 花), nas quais pessoas seguram acessórios parecidos com guarda-sóis e dançam ao ritmo da bateria.

Enigmas das lanternas (猜 灯谜 —cāi dēng mí)

Festival das Lanternas da China: Enigma das Lanternas
Uma das tradições do festival envolve enigmas escritos nas lanternas

Lá no início, comentamos que uma das atividades é descobrir os enigmas das lanternas. Na China Antiga, os chineses se reuniam para beber vinho e escrever poesia. Nestas reuniões, o passatempo favorito eram os jogos de palavras e enigmas. Por isso, tornou-se uma tradição escrever enigmas nas lanternas, exigindo que o participante seja esperto e pense fora da caixa. 

Dança do dragão (耍 龙灯 – shuǎ lóng dēng)

Festival das Lanternas da China: Dança do dragão
Dança do dragão

Outra atividade simbólica é a dança do dragão, cuja história se confunde com a própria cultura chinesa. Nela, artistas criam formações impressionantes ao ritmo dos tambores e pratos chineses.

Dança do leão (舞 狮子 —wǔ shī zǐ)

Festival das Lanternas da China: Dança do leão
Dança do leão

As danças do leão podem ser vistas em qualquer evento festivo, desde feriados a casamentos e aberturas de lojas. Na dança, o leão é projetado com olhos e bocas móveis. Às vezes, o leão abre a boca, exige comida. Outras vezes, rolam e brincam como se fossem gatinhos enormes.

Pernas de pau (踩高跷 —cǎi gāo qiāo)

Festival das Lanternas da China: Apresentação sobre pernas de pau
Apresentação sobre pernas de pau

As performances sobre pernas de pau se originam da ópera chinesa, ou seja, representam uma tradição antiga. Nela, os artistas cantam e dançam enquanto tocam palafitas. Dependendo do seu personagem, eles têm roupas e alturas diferentes.

Alimentação e Família

A yuan xiao é a marca registrada do Festival das Lanternas. Também conhecido como tang yuan (汤圆) no sul, é uma das muitas sobremesas saborosas do Ano Novo Chinês. Trata-se dos bolinhos de arroz com recheios doces feitos de xarope, pasta de feijão vermelho, pasta de gergelim preto ou mais ingredientes. Podem ser cozidos no vapor (a forma mais comum de consumo) ou fritos.

Os bolinhos representam reuniões familiares devido à sonoridade de tang yuan ser semelhante a “reunião” (团圆 -tuán yuan). 

Festival das Lanternas da China: Bolinho tang yuan
Bolinho tang yuan

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Especial: Viagem com segurança durante a pandemia