Tudo sobre o Palácio de Schönbrunn, em Viena

A atração turística mais popular da capital austríaca em todos os detalhes para você programar sua viagem.

- Tempo de leitura: 12 minutos -

O ponto turístico mais popular de Viena é, sem dúvida, o magnífico Palácio de Schönbrunn. A antiga residência imperial da dinastia dos Habsburgos foi construída no final do século XVIII e é carregada de luxo e ornamentação. Adornado com belos jardins e parques, o monumento é também conhecido como o Palácio de Versalhes de Viena. A seguir, saiba tudo sobre o Palácio de Schönbrunn, em Viena. 

O espetacular Palácio de Schönbrunn (Schloss Schönbrunn) fica a poucos quilômetros do centro da capital austríaca. Sua história, contudo, remonta a 1569, quando o imperador Maximiliano II adquiriu, no local, um pequeno palácio de verão em um moinho reformado. O opulento prédio, posteriormente, abrigou o Imperador Francisco e sua amada Sissi, além de Maria Theresa, a poderosa imperatriz. 

Palácio de Schönbrunn, em Viena, na Áustria
Palácio de Schönbrunn, em Viena, na Áustria

O fato é que, hoje, o Schloss Schönbrunn é uma das atrações mais visitadas da Áustria, permitindo dois tipos de passeios encerrados com um café tradicional. Os aposentos, jardins  e parques estão disponíveis para um tour que, contudo, merece algumas dicas importantes. Por isso, siga conosco e saiba tudo sobre o Palácio de Schönbrunn, em Viena

Onde fica o Palácio de Schönbrunn

O Palácio de Schönbrunn está localizado em Hietzing, no 13º distrito de Viena. É possível chegar ao palácio por metrô, trem ou ônibus, além de carro, claro. O aeroporto mais próximo ao castelo é o Aeroporto Internacional de Viena. 

A história do Palácio de Schönbrunn

Ainda que o palácio tenha sido construído no início do século XVIII, sua história, como já comentado, começou bem antes disso. Em 1569, o Imperador Maximiliano II, comandante do Sacro Império Romano, comprou o terreno onde já havia uma mansão, a Katterburg. Lá, Maximiliano mandou colocar vários animais com o objetivo de tornar o local um terreno de caça recreativa. 

Mansão Katterburg, precursora do Palácio de Schönbrunn
Mansão Katterburg, precursora do Palácio de Schönbrunn

Após a morte repentina de Maximiliano II, em 1576, o Katterburg passou para Rudolph II que, exceto sancionar os fundos necessários para sua manutenção, pouco fez pela propriedade. 

Seu sucessor, o imperador Ferdinando II, e sua esposa, Eleonora von Gonzaga, ambos apaixonados pela caça, escolheram Schönbrunn para suas festas. Ferdinand morreu em 1637 e, então, a propriedade tornou-se a residência da viúva. 

Como Eleonora tinha uma vida social agitada, mandou construir um château de plaisance em 1642, nomeando-o Schönbrunn. Infelizmente, tropas turcas invadiram o local em 1683, depredando a propriedade. Somente em 1686, quando o château estava sob a posse de Leopoldo I, uma nova residência começou a ser construída, após a vitória do imperador sobre os turcos.  

A construção do Palácio de Schönbrunn

Leopoldo resolveu encomendar um novo palácio imperial no mesmo lugar no intuito de rivalizar com o Palácio de Versalhes. Ademais, deveria servir de área de caça para seu filho, Príncipe Joseph que, mais tarde, seria coroado Imperador Joseph I. O projeto foi encomendado ao arquiteto barroco Johann Bernhard Fischer von Erlach, recomendado pela alta aristocracia. 

O desenho substituiria o château construído em 1642 para a imperatriz Eleonora de Gonzaga, embora o novo projeto aproveitasse a fundação. Nascia aí o Palácio de Schönbrunn, uma obra em estilo barroco com 1.441 quartos e apartamentos. Após sua construção, passou a ser a residência de Wilhelmine Amalie até que, em 1728, foi adquirido pelo imperador Carlos VI para a caça de faisões.

Pintura de 1758 mostrando o Palácio, por Bernardo Bellotto
Pintura de 1758 mostrando o Palácio, por Bernardo Bellotto

As reformas e relevância política do Palácio

Finalmente, Carlos VI deu o palácio para a filha, a Imperatriz Maria Teresa, a única governante dos Habsburgos. A nova proprietária, entretanto, tinha uma relação especial com o palácio e seus jardins, iniciando, então, uma fase que colocava o prédio no centro da vida política da corte. Por isso, encomendou uma nova restauração, desta vez, projetada por Nikolaus Pacassi.

A reforma envolveu apartamentos imperiais da Ala Leste, salas de audiência, suítes residenciais da imperatriz, além da escadaria da capela, galerias, entre outros aposentos do palácio. 

Maria Theresa também pediu a construção de um teatro, considerando seu apreço pelas artes e talento como cantora. Após sua morte, em 1780, o Palácio de Schönbrunn permaneceu desocupado até voltar a ser residência de verão do imperador Franz II. 

Novamente, como preparação para o Congresso de Viena em 1814, o Palácio de Schönbrunn passou por nova restauração. Então, os apartamentos da família imperial foram renovados. 

Posteriormente, a fachada foi alterada entre 1817 e 1819 pelo arquiteto da corte, Johann Aman, mudando consideravelmente sua aparência. A dinastia Habsburgo governou diversos países, como Áustria, Espanha e Portugal entre os séculos XIII e XX. 

Além de Maria Theresa, também moraram no palácio os imperadores Francisco e Sissi. O palácio, com certeza, passou por diversas alterações, especialmente entre 1816 e 1819 e, também, após graves danos causados por ataques na Segunda Guerra Mundial. Assim, a última reconstrução foi concluída em 1952.

Palácio de Schönbrunn atualmente
Palácio de Schönbrunn atualmente

O interior do Palácio de Schönbrunn

Uma visita pelo Palácio de Schönbrunn é uma viagem ao luxo e ostentação. Embora apenas 40 dos 1.441 quartos sejam abertos ao público, isso é suficiente para dar a sensação de magnificência. 

Antes de mais nada é importante lembrar que não é permitido tirar fotos no interior do Palácio, por isso, para ver mais detalhes e fotos das acomodações, basta clicar nos links abaixo!

A visita guiada pelos apartamentos imperiais inclui alguns situados na ala oeste, como os suntuosos aposentos do imperador Franz Joseph e Sissi, a Câmara de Audiências do Imperador e a Sala de Nozes.

Outro destaque do passeio é o quarto no qual Franz Joseph morreu em 21 de novembro de 1916, após reinar por 68 anos. Dos apartamentos ocupados por Maria Theresa, os mais atraentes são os Bergl Rooms, com obras de Johann Bergl. 

Também se destacam a Sala de Maria Antonieta; a Sala Amarela, com seu relógio de mármore branco; e a Sala do Café da Manhã com belas pinturas florais.

A Grande Galeria, lar de incríveis banquetes imperiais sob pinturas ornamentadas no teto, também merece uma visita, assim como o Millions Room, salão privado de Maria Theresa. O cômodo é ornamentado com entalhes dourados e abriga cerca de 260 miniaturas indianas e persas. O Salão dos Espelhos, ainda, tem espelhos de cristal com molduras douradas em estilo Rococó.  

Os Jardins do Palácio e demais atrações

Diante de tanta opulência no interior do palácio, o que falar de seus jardins? O parque ao redor do Palácio de Schönbrunn tem 500 acres e foi construído no século XVIII, em estilo barroco. 

Tombado como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996, os inúmeros jardins e edifícios anexos convidam para um passeio pelos numerosos canteiros de flores. Na caminhada, o desafio é encontrar 44 esculturas mitológicas de mármore do século XVIII. 

Outro destaque é a Fonte de Netuno, esculpida sob a inspiração da mitologia grega. A estrutura mais impressionante, porém, é a Palm House. Construída em 1883, foi a maior estufa da Europa com três seções que guardam plantas exóticas e centenas de espécies de borboletas. Ainda, o Jardim Tirolês, um detalhe alpino adicionado ao Parque Schönbrunn, tem uma casa de fazenda construída em 1722.

Estufa Palmenhaus (Palm House) - Palácio de Schönbrunn
A estufa Palmenhaus (Palm House) com plantas de todas as partes do mundo

Outra visita obrigatória é a Gloriette. Construído em 1775, a Gloriette comemora a Batalha de Kolin de 1757, quando tropas austríacas derrotaram o exército prussiano de Frederico, o Grande. Vale a pena subir até o telhado para ter uma vista incrível da cidade a partir do Café Gloriette. O Teatro do Palácio de Schönbrunn, o único barroco remanescente em Viena, tem rica decoração rococó implantada em 1767. 

A belíssima Gloriette: Palácio de Schönbrunn
A belíssima Gloriette

A Capela do Palácio , datada de 1700, merece uma visita pelas pinturas no teto, como a Apoteose de Maria Madalena e O Casamento de Maria. 

Interior da Capela do Palácio de Schönbrunn
Interior da Capela do Palácio de Schönbrunn (Thomas Ledl, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons)

O zoológico (Tiergarten Schönbrunn) fundado em 1752 é o mais antigo do mundo. São mais de 750 espécies reunidas, como pandas gigantes, orangotangos, tigres siberianos, elefantes africanos, chitas, coalas, pinguins e lobos árticos. 

Zoológico do Palácio de Schönbrunn
O zoológico do palácio é o mais antigo do mundo! (Vangover, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons)

E para as crianças?

O Museu das Crianças, no andar térreo da Ala Oeste, tem exposições interativas sobre o cotidiano da família imperial e o contraste com as condições de vida dos cidadãos comuns. Os artefatos expostos incluem brinquedos, leques e roupas que, também, permitem que as crianças se vistam como príncipes ou princesas. 

Dicas para visitar o Palácio de Schönbrunn

Se hospedando em Viena, existe um passeio com duração de 3,5 horas que inclui visita ao Palácio de Schönbrunn. A excursão guiada dá tempo para explorar os jardins e o Palácio Belvedere, onde os turistas ganham ingressos com desconto para visitar as coleções de arte. Mas, o Palácio tem atrações demais para uma excursão de dia inteiro pelos destaques de Viena. Portanto, confira as dicas para visitar o Palácio de Schönbrunn:

➠ Escolha o Grand Palace Tour

Por mais agradáveis ​​que sejam as atrações e os jardins ao redor, é impossível não entrar no Palácio de Schönbrunn. Porém, a única maneira de fazer isso é reservar um bilhete de excursão, portanto, não economize! Escolha o Grand Tour porque o passeio permite visitar o dobro dos quartos.

➠ Assista a um concerto

Certamente, uma das várias qualidades de Viena é saber integrar atividades culturais aos lugares históricos. O Palácio de Schönbrunn, por exemplo, recebia concertos de Mozart e Salieri, uma tradição que se mantém. Assim sendo, confira a programação do Café Residenz ou, se estiver com sorte, assista a um concerto noturno gratuito Wiener Philharmoniker nos jardins do palácio. 

➠ Aproveite os mercados 

Imagine fazer umas comprinhas no pátio de uma das construções mais belas do mundo! O palácio abriga eventualmente mercadinhos de artes e artesanato, especialmente para os feriados de Natal, Ano Novo e Páscoa. Então, aproveite os estandes e não deixe de passar nas barracas de comida e bebida tradicionais. 

➠ Tire sua foto na Neptunbrunnen Fountain (Fonte de Netuno)

A gigante Neptunbrunnen, no lado oposto dos jardins principais, é um dos pontos altos do palácio. Logo atrás dela, está uma colina que permite uma vista fabulosa do palácio e seus jardins. Provavelmente, é aqui que você vai tirar suas melhores fotos. 

Neptunbrunnen Fountain (Fonte de Netuno) no Palácio de Schönbrunn
Neptunbrunnen Fountain (Fonte de Netuno)

➠ Chegue cedo para boas fotos do jardim

A bilheteria de Schönbrunn e as cabines do palácio normalmente abrem por volta das 8h, então os turistas tendem a não chegar muito antes disso. No entanto, o terreno e os jardins abrem a partir das 6h30, dando um bom tempo para tirar fotos sem ninguém para atrapalhar. 

➠ Mas, permita-se visitar o palácio à noite

A luz da manhã nos jardins de Schönbrunn tem um certo valor, especialmente quando tudo está calmo. No entanto, há algo igualmente especial sobre a iluminação noturna. As luzes acendem ao anoitecer e apagam-se novamente por volta das 22h. Mesmo se o parque estiver fechado, você pode tirar fotos impressionantes da parte externa, especialmente no Natal, quando o mercado sazonal enche o pátio.

O Palácio de Schönbrunn à noite
O Palácio de Schönbrunn à noite

➠ Aprenda a se locomover

A melhor maneira de se locomover pelos vastos jardins do palácio é embarcar no trem Schönbrunn Panorama. A viagem de ida e volta de quase uma hora não apenas ajuda a se orientar, mas também permite que o turista embarque e desembarque em qualquer uma das nove estações quando quiser.

O trem Schönbrunn Panorama
O trem Schönbrunn Panorama

➠Saiba onde comer

O Palácio de Schönbrunn oferece várias experiências gastronômicas, desde o luxuoso Café Restaurant Residenz até os cafés com terraço ao ar livre, incluindo o Café Gloriette, com excelentes vistas do Parque.

➠ Veja como chegar:

A 40 minutos a pé do centro da cidade de Viena, o palácio fica nas linhas de bonde 10 e 58, na rota de ônibus 10A e na rota U4 do U-Bahn (metrô), todas parando na estação Schönbrunn. Estacionamento público disponível.

➠ Adquira seu ingresso com antecedência

O site oficial do Palácio disponibiliza compra online dos tickets para entrada. Existem opções, por exemplo, de Winter Pass, com quatro atrações no mesmo bilhete. Ou, ainda, dos tours clássicos e de grupo. Você pode acessar tanto pelo computador quanto celular. O mesmo site também dispõe de tours virtuais pelas diferentes áreas do palácio, como o parque ou aposentos. 

Incrível conhecer o Palácio de Schönbrunn, não é mesmo? O mundo é lindo e tem destinos surpreendentes! Viaje também pela curiosa Cratera de Darvaz e as charmosas cidades históricas de Alagoas!  

🏨

Hotéis próximos ao Palácio de Schönbrunn




Booking.com

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.