Conheça a Torre de Belém, em Lisboa!

Saiba todas as informações sobre a Torre, como a história do monumento, onde fica, como chegar, preço e horários de visitação.

0

Todo país tem um monumento que o simboliza, já percebeu? Brasil com o Cristo Redentor, França com a Torre Eiffel, Itália com o Coliseu ou os Estados Unidos com a Estátua da Liberdade, por exemplo. 

Em Portugal, um dos monumentos mais conhecidos é a Torre de Belém, em Lisboa! Conheça mais sobre sua história, onde fica, como chegar, preços e horários de visitação, além de dicas importantes e as mais belas imagens! 

A Torre de Belém, oficialmente conhecida como Torre de São Vicente, está localizada no distrito de Belém, à margem direita do Rio Tejo. Antigamente, era cercada por águas em todo o seu perímetro, onde já existiu a praia de Belém. Inaugurada em 1521 para proteger a entrada dos navios que chegavam em Lisboa, hoje é uma das principais atrações turísticas do país, além do maior do maior símbolo arquitetônico português. 

Torre de Belém, em Lisboa
A Torre de Belém

História da Torre de Belém

A Torre de Belém foi construída obedecendo uma exigência de defesa do Rio Tejo, por implementação de D. João II. Construída entre 1514 e 1520 por Francisco de Arruda, arquiteto e escultor, o projeto primeiramente recebeu o nome de Baluarte de São Vicente, invocando São Vicente de Saragoça, padroeiro de Lisboa. Porém, a estrutura só começou a ser levantada no reino de Manuel I. 

O objetivo da Torre era substituir uma nau ancorada nas águas do Tejo, de onde partiam as frotas para as Índias. Sob a vigilância e orientação de Diogo Boitaca, as obras findaram em 1520/1521, originalmente colocando a Torre sobre uma ilha no estuário do rio, quase no meio de seu curso. Aos poucos, foi perdendo sua função de defesa. Por isso, já serviu de forte, prisão, alfândega e farol. 

Esboço da Torre de Belém, em Lisboa
Esboço da Torre de Belém

As alterações no curso fluvial, além dos aterros, trouxeram a Torre mais para perto da margem. Vale lembrar que a elaborada ornamentação remete às conquistas no Oriente, por isso, possui tantos motivos navais. Trata-se de um exemplar fantástico de transição do estilo medieval ao manuelino, nome advindo do Rei Manuel I, grande responsável pela expansão marítima portuguesa na Era dos Descobrimentos.

O marco histórico da Torre de Belém é ter sido ponto de partida de grandes navegadores portugueses, como Vasco da Gama até a Índia e Pedro Álvares de Cabral para o Brasil. 

Como é a Torre de Belém

A fachada da Torre de Belém é repleta de símbolos importantes, como o rinoceronte trazido por D. Manuel I como presente do rei da cidade indiana de Cambaia. Além disso, seu interior é adornado por vários brasões do país, tornando a torre uma das construções mais nacionalistas de Portugal. 

Detalhe do Rinoceronte da Torre de Belém, em sua fachada
Detalhe do Rinoceronte da Torre de Belém, em sua fachada

Seu baluarte, a parte mais baixa da torre, tem o formato de hexágono, modelo inovador para a época e que fez a Torre de Belém um monumento diferenciado, se comparado às demais construções medievais. 

O paiol da torre, onde são guardados os canhões, tem teto repleto de arcos. Por fim, um pátio belíssimo encerra o andar inferior com chave de ouro. Após conhecer toda a parte interior, é interessante subir até o terraço do baluarte, virado para o Tejo, de onde se tem a vista privilegiada do rio e do bairro de Belém. 

Paiol da Torre de Belém, com canhões, em Lisboa
Paiol da Torre de Belém

É por ali que chegamos à parte mais alta do monumento, subindo uma escada em caracol. O corpo da Torre, no total, tem quatro andares além do terraço. Lá, o visitante pode conhecer a Sala do Governador, a Sala dos Reis, Sala de Audiências e a Capela.

Terraço da Torre de Belém, em Lisboa
Terraço da Torre de Belém

Vale lembrar que a parte externa da Torre guarda fortes influências também islâmicas. 

Uma das fachadas da Torre de Belém, em Lisboa
Uma das fachadas da Torre de Belém

Atualmente, a Torre de Belém é considerada Patrimônio Mundial da Humanidade. Quando for visitá-la, aproveite para visitar os pontos turísticos importantes em seus arredores, como o Padrão dos Descobrimentos e Mosteiro dos Jerônimos. Não se esqueça de que está no bairro de Belém, casa dos famosos pasteizinhos de mesmo nome. Vale a pena dar uma parada na Fábrica de Pastéis de Belém. 

O Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa
O Mosteiro dos Jerônimos é um outro ponto turístico importante da cidade de Lisboa, próximo da Torre de Belém

Como chegar à Torre de Belém

O acesso à Torre de Belém é feito pela Avenida Brasília e, de lá, o visitante cruza o Jardim de Belém. Como o bairro é muito movimentado, o turista que tiver hospedado em algum dos hotéis de lá pode ir caminhando. Caso o hotel esteja localizado no centro, basta pegar o elétrico (ou metrô número 15) ou ônibus, cuja linha parte da Praça do Comércio. De carro, o trajeto dura, em média, 20 minutos. 

Também é possível chegar até lá de barco, partindo para a estação fluvial de Belém. Para entrar na Torre, primeiro é preciso cruzar a ponte que a liga à praia, de onde o visitante a vê erguendo-se, imponente. 

Preços e horários de funcionamento da Torre de Belém

Preço e Horário de Funcionamento da Torre de Belém, em Lisboa
Entrada de visitantes na Torre de Belém

Se está em Lisboa e quer visitar a Torre de Belém, saiba que seu horário de funcionamento varia conforme os meses do ano. Veja: 

  • Outubro a Abril: Das 10h00 às 17h30 (última entrada às 17h00)
  • Maio a Setembro: Das 10h00 às 18h30 (última entrada às 17h00)
  • Fechado: Segundas-feiras e nos dias 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio, 13 de Junho e 25 de Dezembro

O bilhete individual custa 6 € (sujeito a alterações). Porém, é interessante adquirir a opção que dá direito à entrada no Mosteiro dos Jerônimos e Museu Nacional de Arqueologia, sob o preço de 12 €

Outros combos disponíveis são: 

  • Descobertas: Mosteiro dos Jerônimos / Torre de Belém
  • Praça do Império: Mosteiro dos Jerônimos + Torre de Belém + Museu Nacional de Arqueologia
  • Jerônimos: Mosteiro dos Jerônimos + Museu Nacional de Arqueologia
  • Cais da História: Mosteiro dos Jerônimos + Torre de Belém + Museu Nacional de Arqueologia + Museu de Arte Popular + Museu Nacional de Etnologia + Museu dos Coches

Cartão jovem e pessoas com idade igual ou superior a 65 anos têm desconto de 50%. Mais informações pelo site da Torre de Belém, clicando aqui.

Veja também: Bebidas típicas para provar em Portugal

Cidade do Porto, em Portugal: Muito além dos vinhos

O que fazer no Porto: Pontos turísticos

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.