Saiba quanto ganha um Uber nos Estados Unidos e veja se vale a pena

A profissão acabou sendo um alento para quem precisava de renda extra, mas assim como todas as outras, tem suas vantagens e desvantagens.

Vale a pena trabalhar de Uber? O aplicativo de mobilidade virou febre, tanto entre usuários em busca de preços mais baixos quanto entre pessoas em busca de renda extra. A plataforma atraiu desempregados e teve até quem trocasse um emprego com carteira assinada para passar o dia no trânsito. Brasileiros, inclusive, ganharam mais essa opção ao tentar a vida lá fora, principalmente nos EUA.  Falando nisso, quanto ganha um Uber nos Estados Unidos? Ser motorista de aplicativo ainda é rentável?

Trabalhar como motorista de aplicativo tornou-se oportunidade para quem não conseguia oportunidades no mercado de trabalho ou buscava renda extra. Uma das grandes vantagens em ser motorista do Uber é ter poucos requisitos. Nos Estados Unidos, por exemplo, basta ter:

  • Driver license e autorização para trabalhar;
  • Carro sedã de luxo, com banco de couro, ar condicionado e quatro portas para UberBLACK;
  • Outro modelo compacto, ar-condicionado e 4 portas para uberX, uberPOOL e UberSELECT.

Outro ponto positivo é que o motorista faz seu próprio horário o que, de fato, acaba se convertendo em uma imensa desvantagem. Afinal, a depender da extensão e tarifas das corridas, o profissional acaba rodando muito mais ao longo do dia para ter algum lucro. É preciso considerar que, daquela tarifa apontada no aplicativo, é retirada uma taxa que fica para a empresa e, o restante, para o motorista. É do bolso dele que saem os custos com pneus, combustível e manutenção. 

Diante disso, as vantagens de trabalhar para a Uber e, até mesmo, outros aplicativos, passaram as ser questionadas. Saiba quanto ganha um Uber nos Estados Unidos e veja se, ainda, vale a pena.

Como funciona a Uber nos Estados Unidos?

Os serviços prestados pela Uber nos Estados Unidos são um pouco diferentes do que encontramos no Brasil. Por lá, é possível contratar:

  • UberBLACK:  carros de alto padrão com motorista bem vestido;
  • UberSELECT: carros mais confortáveis e espaçosos, porém com preço 20% maior que uberX;
  • UberX: opção básica para viagens o dia a dia, em carro compacto com 4 portas e ar-condicionado;
  • UberPOOL: opção que permite dividir a viagem com outros passageiros que tenham rota similar a sua;
  • UberEATS: delivery de comida mediante a seleção de restaurantes que tenham aderido ao serviço;
  • UberSUV: específico para carros com mais lugares, do tipo SUV;
  • UberLUX: específico para carros de luxo;
  • UberRUSH: serviço prestado por bicicleta.

Como é a vida de um Uber nos Estados Unidos?

A Uber declara, abertamente, que seus quase 3,9 milhões de pessoas não são funcionários, mas contratados independentes. A categoria então seria dispensada de receber salários mínimos e folgas remuneradas, além de benefícios como seguro de saúde e compensação por horas extras. É bom frisar que a independência também inclui os gastos com seguros, reparos e combustível que, como já falado, correm por conta do motorista. Diante do quadro, foi declarada uma greve em maio de 2019 para denunciar as condições de trabalho. 

Como argumentos, a empresa afirma oferecer um sistema de suporte aos afiliados, além de recentemente ter disponibilizado um programa de recompensas e plano de proteção contra lesões. Mas, afinal, como é a vida financeira de quem é Uber? De acordo com a Economic Policy Institute, mais da metade dos motoristas de Uber nos EUA trabalha menos de 10 horas semanais. A adesão ao aplicativo vem para complementar a remuneração obtida em empregos de tempo integral. 

Ainda assim, há quem trabalhe pela empresa full time, justamente pela falta de oportunidades e até para complementar os soldos da aposentadoria. E, mesmo quem gosta da liberdade de horários oferecida pela Uber reclama do pouco tempo livre e lucros ínfimos. Em 2016, a coisa ficou um pouco pior quando a empresa mudou a estrutura de pagamentos. Mas, diante de tantas reclamações e uma greve nacional, a Uber deu uma flexibilizada e iniciou testes para que motoristas estabelecessem suas próprias tarifas

Mas, diante de tantas reclamações e uma greve nacional, a Uber deu uma flexibilizada e iniciou testes para que motoristas estabelecessem suas próprias tarifas.

A medida passou a valer no começo de 2020 em algumas cidades da Califórnia, mais precisamente, entre os operantes nos aeroportos de Santa Barbara, Palm Springs e Sacramento. Os profissionais podem aumentar suas tarifas de 10% a até cinco vezes perante o estabelecido pela empresa. Porém, na prática, quando o usuário solicita a corrida, a Uber automaticamente o conecta ao motorista que cobrar o preço mais baixo, despachando aqueles com corridas mais caras. 

Quanto ganha um Uber nos Estados Unidos?

Enfim, quanto ganha um Uber nos Estados Unidos? De acordo com o site Indeed.com, o montante médio que um Uber faz, por ano, é de US$ 30.111. Por hora, os motoristas recebem entre US$ 8.55 e US$ 11.77. O valor é inferior ao que o Bureau of Labor Services (BLS) alegou ser a renda média.

Um trabalhador do setor privado, por exemplo, ganha US$ 32,06 por hora em uma empresa de médio porte. É importante destacar isso varia devido às diferentes categorias de serviços oferecidas, horário e circunstâncias do passeio.

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Especial: Viagem com segurança durante a pandemia