Permissão internacional para dirigir: Tudo que você precisa saber

Principais informações sobre a PID, processo de emissão, taxas e países em que é aceita.

- Tempo de leitura: 5 minutos -

A Permissão Internacional para Dirigir (PID) é o documento que possibilita que brasileiros dirijam veículos de sua respectiva categoria nos países que assinaram a Convenção de Viena sobre Trânsito Viário. Além disso, a PID é aceita nos países que mantêm o Princípio da Reciprocidade com o Brasil.

O que é a PID?

Em síntese, o documento traduz a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em sete idiomas (Alemão, Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês, Português e Russo). No entanto, só é válida se estiver acompanhada da CNH original.

De modo geral, a Permissão Internacional para Dirigir é exigida apenas para pessoas que desejam conduzir veículos nos países participantes da Convenção de Viena por mais de 180 dias .

Entretanto, o Departamento Nacional de Trânsito recomenda ter o documento ainda que para períodos inferiores ao estabelecido. Isso porque, por ser internacionalmente reconhecido e traduzido, facilita em eventuais checagens de informações.

Outro ponto favorável à PID é que, em alguns países da Europa, mesmo em períodos menores que 180 dias, o documento pode ser solicitado. Ademais, pode ser solicitado na hora de alugar veículos. Recomenda-se, portanto, consultar o site da empresa de aluguel de veículos para verificar se ela exige a apresentação da PID.

Na teoria, em viagens curtas, apenas a Carteira Nacional de Habilitação é suficiente. Porém, para evitar problemas com fiscalização de trânsito e em possíveis acidentes, o Denatran aconselha a emissão da PID.

Pode solicitar a Permissão quem tem CNH válida, não está cumprindo período de suspensão ou cassação do direito de dirigir nem tem outras restrições administrativas ou judiciais que impeçam a expedição do documento.

Como tirar a PID?

O processo para obter a Permissão Internacional para Dirigir é realizado junto aos Departamento de Trânsito Estaduais (Detrans). Assim sendo, os procedimentos variam de acordo com cada unidade da federação.

Em alguns estados o processo é feito todo pela internet, ou seja, basta acessar o site do Detran do estado de origem da CNH, preencher os dados cadastrais e quitar a taxa e o frete. Cumpridos todos os trâmites, o documento chega no endereço informado pelo motorista.

Por outro lado, em alguns estados a solicitação ou a retirada são feitas presencialmente.

Portanto, a melhor maneira de descobrir qual o procedimento adotado em seu estado é acessar o site do Detran. Neste link é possível encontrar a relação dos sites dos Departamentos de Trânsito de todos os estados.

Além do Detran, é possível dar entrada no documento em entidades ligadas à Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Valor da PID?

Como já citado, é necessário pagar uma taxa para tirar a PID. Assim como o processo, os valores variam de estado para estado. A título de informação, enquanto o Rio Grande do Sul possui o valor mais baixo, R$ 57,60, a Bahia tem o valor mais alto, R$ 612,00.

Países que aceitam a PID

A Convenção de Viena sobre Trânsito Viário foi assinada em 1968, com o objetivo de facilitar o trânsito viário internacional e aumentar a segurança em rodovias. Com isso, os países signatários adotaram diversas regras que devem ser seguidas por todos os motoristas quando dirigirem em qualquer um desses países.

Também aceitam o documento os países com princípio da reciprocidade, .

Sendo assim, os países e territórios que aceitam a Permissão Internacional para Dirigir, de acordo com o Itamaraty, são os seguintes:

  • África do Sul
  • Albânia
  • Alemanha
  • Anguila (Grã Bretanha)
  • Angola
  • Argélia
  • Argentina
  • Arquipélago de San Andres Providência e Santa Catalina (Colômbia)
  • Austrália
  • Áustria
  • Azerbaidjão
  • Bahamas
  • Barein
  • Bielo-Rússia
  • Bélgica
  • Bermudas
  • Bolívia
  • Bósnia-Herzegóvina
  • Bulgária
  • Cabo Verde
  • Canadá
  • Cazaquistão
  • Ceuta e Melilla (Espanha)
  • Chile
  • Cingapura
  • Colômbia
  • Congo
  • Coréia do Sul
  • Costa do Marfim
  • Costa Rica
  • Croácia
  • Cuba
  • Dinamarca
  • El Salvador
  • Equador
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Estados Unidos
  • Estônia
  • Federação Russa
  • Filipinas
  • Finlândia
  • França
  • Gabão
  • Gana
  • Geórgia
  • Gibraltar (Colônia da Grã Bretanha)
  • Grécia
  • Groenlândia (Dinamarca)
  • Guadalupe (França)
  • Guatemala
  • Guiana
  • Guiana Francesa (França)
  • Guiné-Bissau
  • Haiti
  • Holanda
  • Honduras
  • Hungria
  • Ilha da Grã-Bretanha (Pitcairn, Cayman, Malvinas e Virgens)
  • Ilhas da Austrália (Cocos, Cook e Norfolk)
  • Ilhas da Finlândia (Aland)
  • Ilhas da Coroa Britânica (Canal)
  • Ilhas da Colômbia (Geórgia e Sandwich do Sul)
  • Ilhas da França (Wallis e Futuna)
  • Indonésia
  • Irã
  • Israel
  • Itália
  • Kuwait
  • Letônia
  • Líbia
  • Lituânia
  • Luxemburgo
  • Macedônia
  • Martinica (França)
  • Marrocos
  • Mayotte (França)
  • México
  • Moldávia
  • Mônaco
  • Mongólia
  • Montserrat (Grã Bretanha)
  • Namíbia
  • Nicarágua
  • Níger
  • Niue (Nova Zelândia)
  • Noruega
  • Nova Caledônia (França)
  • Nova Guiné Ocidental
  • Nova Zelândia
  • Nueva Esparta (Venezuela)
  • Panamá
  • Paquistão
  • Paraguai
  • Peru
  • Polinésia Francesa (França)
  • Polônia
  • Porto Rico
  • Portugal
  • Reino Unido (Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales)
  • República Centro Africana
  • República Checa
  • República Dominicana
  • Republica Eslovaca
  • Reunião (França)
  • Romênia
  • Saara Ocidental
  • Saint-Pierre e Miquelon (França)
  • San Marino
  • Santa Helena (Grã Bretanha)
  • São Tomé e Príncipe
  • Seichelles
  • Senegal
  • Sérvia
  • Suécia
  • Suíça
  • Svalbard (Noruega)
  • Tadjiquistão
  • Terras Austrais e Antártica (Colônia Britânica)
  • Território Britânico no Oceano Índico (Colônia Britânica)
  • Timor Leste
  • Tunísia
  • Turcas e Caicos (Colônia Britânica)
  • Turcomenistão
  • Ucrânia
  • Uruguai
  • Uzbequistão
  • Venezuela
  • Zimbábue

Quem pretende dirigir em países que não estão citados acima não podem usar nem a Carteira Nacional de Habilitação e nem a Permissão Internacional para Dirigir. Assim sendo, para conduzir veículos automotores devem realizar todo o processo conforme a legislação local.

As recomendações e exigências de cada país podem ser conferidas junto ao seu respectivo consulado ou embaixada.

Validade da PID

Desde 2017, a Permissão Internacional para Dirigir é válida por três anos ou até o término do período de validade da Carteira Nacional de Habilitação, a que expirar primeiro.

Importante frisar novamente que, sozinha a PID não vale como um documento. A mesma é validada apenas mediante apresentação da CNH original.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Se você continuar a usar este site, assumiremos que você está de acordo com isso. Aceitar Ler Mais

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->