O verdadeiro (e controverso) significado da bandeira do Japão!

O símbolo nacional demorou a ser reconhecido pela população do país.

- Tempo de leitura: 3 minutos -

Uma bandeira que aparenta simplicidade, mas carregada de significado. Essa é a bandeira do Japão, que possui um passado controverso e que gera polêmicas e fortes atritos até hoje, tanto dentro quanto fora do Japão.

Era de se esperar que uma nação com séculos de história como a japonesa possuísse uma bandeira consolidada como símbolo nacional há muitos anos. No entanto essa não é a realidade do Japão, que teve a sua bandeira oficial atual reconhecida pelo Parlamento Japonês apenas em 1999.

A história das bandeiras do Japão ajudam a explicar.

As bandeiras do Japão

A bandeira oficial do Japão é chamada de Hinomaru, cujo significado é “circulo solar”. Bastante conhecida pelo mundo, ela é composta por um circulo vermelho central, sobre um fundo branco. O disco central representa o sol, e tem como inspiração o fato de o país ser uma ilha no extremo oeste do Oceano Pacífico, onde o sol nasce sobre o mar.

Hinomaru: a Bandeira do Japão
Hinomaru: a Bandeira do Japão

Você pode não saber, mas o Japão possui uma outra bandeira, não oficial, que é bastante usada no país. Esta sim, possui um significado bastante controverso por conta da história que carrega. É a chamada “Bandeira do Sol Nascente” ou Kyokujitsu-ki, que se assemelha à bandeira oficial, mas diferencia-se dessa por possuir 16 raios vermelhos saindo do disco central.

Bandeira do sol nascente do Japão
Bandeira do Sol Nascente do Japão

O passado controverso das bandeiras japonesas

Ambas as bandeiras foram utilizadas durante anos em conflitos militares, com destaque para a Bandeira do Sol Nascente que foi usada durante o período de expansão imperialista japonês. Nesse período o Japão ocupou territórios da Coreia do Sul e da China, o que causou tensões que até hoje existem entre essas nações.

A ligação da bandeira com o uso de forças militares se intensificou na Segunda Guerra Mundial, quando a Kyokujitsu-ki se tornou a bandeira oficial da Marinha Japonesa e ficou marcada como a bandeira carregada por japoneses que cometeram atrocidades no continente asiático naquele período.

As ações do exército japonês durante a Segunda Guerra Mundial mancharam a visão dos japoneses em relação à bandeira do Sol Nascente, mas também em relação à bandeira Hinomaru. Para muitos, ambas serviam como recordação de uma época sombria de atrocidades na guerra.

Ainda hoje setores da sociedade japonesa, como professores do espectro político de esquerda, se recusam a curvar-se sobre a bandeira oficial do Japão. No entanto, as controvérsias são maiores em relação à bandeira do Sol Nascente, que atualmente é utilizada por partidários de extrema direita, que enaltecem a participação japonesa na Segunda Guerra Mundial.

Atritos durante as Olimpíadas de Tóquio

O uso da bandeira do Sol Nascente durante as Olimpíadas sofreu duras críticas antes do início do Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os sul coreanos, por considerarem o símbolo ofensivo, tentaram que ela fosse proibida durante o evento. Políticos da Coreia do Sul comparam a bandeira à suástica nazista e acreditam que o seu uso romantiza eventos de guerra marcados por atrocidades.

Entretanto, não houve a proibição de seu uso.

“Como vocês todos sabem, o design da Bandeira do Sol Nascente representa a forma do sol, assim como a bandeira nacional do Japão e ela é amplamente utilizada pelo país, como por exemplo em bandeiras de pescadores e em bandeiras comemorativas de nascimentos e festividades. Afirmação de de que a bandeira é uma expressão de declarações políticas ou discriminatórias é falsa.”, disse o Secretário Geral do Gabinete do Japão, Katsunobu Katō, em Coletiva de Imprensa, no dia 18 de Maio de 2021.

“O Governo do Japão explicou, e continuará a explicar em cada oportunidade, para a comunidade internacional, incluindo a República da Coreia, sua visão de que a exibição da bandeira do Sol Nascente não é uma promoção política”, completou Katō.

Como atenuante para o atrito político gerado pela não proibição do uso da bandeira, está o fato de que as Olimpíadas de Tóquio estão sendo realizadas sem público. Assim, não teremos nenhum expectador para carregar o polêmico símbolo nos estádios e arenas japoneses.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.