10 festas populares paraenses para curtir ainda mais o estado

Graças a influência de europeus, africanos e índios, o Pará tem acervo cultural riquíssimo 

- Tempo de leitura: 5 minutos -

Pará, estado que encanta com suas lendas, gastronomia, povo, cultura e tradições. Tanta riqueza se mostra, com bastante opulência, até, nas festas populares paraenses que retratam sua história. 

A riqueza do acervo cultural paraense é inegável, graças à herança das nações indígenas que sempre habitaram a região e, mais tarde, se misturou aos europeus e africanos. Daí, vêm os pratos peculiares, o folclore singular e, claro, as festas. 

Celebrações de cunho religioso ou não, as festas populares paraenses são o retrato fiel de um estado rico e extremamente prazeroso de conhecer. 

10 festas populares paraenses

Círio de Nazaré

O Círio de Nazaré é, sem dúvidas, a mais conhecida das festas populares paraenses. A festa de devoção à Nossa Senhora de Nazaré é a maior manifestação católica do país e reúne, anualmente, dois milhões de devotos nos cultos e procissões. 

A celebração reúne uma série de eventos e procissões, sempre no mês de outubro. Realizada há mais de 200 anos e tombada Patrimônio Cultural Imaterial pelo Iphan e declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, reúne mais de 12 procissões, além de romarias, eventos e rezas em 15 dias de festa.

LEIA MAIS:

No sábado, por exemplo, temos a procissão fluvial das embarcações que acompanham o navio responsável pelo transporte da imagem da Virgem de Nazaré. Na transladação do Círio, a procissão de 4km leva a imagem da Virgem desde o Colégio Gentil Bittencourt até a Catedral Metropolitana de Belém, a Igreja da Sé.

O auge da festa acontece no segundo domingo do mês de outubro e constitui uma procissão na qual os fiéis seguram a corda que leva à imagem da santa. A procissão começa na Catedral Metropolitana e termina na Praça Santuário de Nazaré, em Belém. 

Ainda há a Romaria Rodoviária, o Círio das Crianças e o Recírio, além de missas,  vigílias de oração, o Arraial de Nazaré, o Círio Musical e a descida da Imagem do Achado do Glória para o Altar da Basílica Santuário, onde fica durante os quinze dias de festa para visitação.

Arraial do Pavulagem

O Arraial do Pavulagem é, na verdade, um grupo tradicional criado há quase 30 anos que levou o boi-bumbá da Praça da República, em Belém, para as ruas da cidade. Ainda que a formação original tenha mudado ao longo dos anos, o grupo permanece fazendo a festa. 

A ideia é promover a cultura e a tradição folclórica entre os mais jovens. Uma das mais antigas festas populares paraenses, promove apresentações de rua utilizando elementos amazônicos, como o boi bumbá e o barco de Miriti. 

Os personagens são, além dos bois, os gigantes de perna de pau e os cabeçudos. O grupo sai às ruas especialmente nas festividades do Círio de Nazaré. 

Carros dos Milagres

Também nas festividades do Círio de Nazaré, os carros dos milagres estão entre as mais belas manifestações. Os 13 carros acolhem as promessas dos romeiros e são eles: 

  • Carro do Plácido
  • Barca dos Escoteiros
  • Barca Nova
  • Cestos de Promessas
  • Barca com Velas
  • Barca Portuguesa
  • Barca com Remos
  • Carro Dom Fuas
  • Carro da Santíssima Trindade
  • 4 Carros dos Anjos

Neles, são depositadas promessas, velas e outros presentes que demonstram a fé. 

Marujada de São Benedito

A Marujada de São Benedito é realizada desde 1798, em Bragança, nos dias 25 e 26 de dezembro. Nela, homens e mulheres saem às ruas de azul e vermelho, cada cor em um dia de festa, em homenagem ao santo que é padroeiro dos escravos. 

A festa também é realizada em outras regiões do estado, sempre composta também por novenas e cavalhadas.  

Boi de Máscaras

A festa do Boi de Máscaras é celebrada na cidade de São Caetano de Odivelas. A celebração acontece no Carnaval e, também, nas festas juninas. Os grupos dos palhaços e cabeçudos saem às ruas de máscaras e adereços coloridos, acompanhados dos bois, vaqueiros e bandinhas. 

Festa do Sairé

A disputa entre os botos Cor de Rosa e Tucuxi acontece em Alter do Chão. Uma das mais coloridas festas populares paraenses dura três dias e incorpora elementos religiosos e profanos das culturas europeias e indígenas. Nela, são representados rituais católicos e indígenas, dança e música. 

Círio Noturno de Santo Antônio

O município de Oriximiná é a sede desta que é uma das mais longas festas populares paraenses. Ao todo, são 15 dias de festa e sua diferença para os demais círios do estado é justamente o fato de acontecer à noite.

Daí, são estourados os fogos de artifício que acompanham as embarcações iluminadas, além das centenas de velas lançadas no rio Trombetas.

Folclore de Curuçá

Realizado na região amazônica, o folclore de Curuçá reúne grupos de carimbó, cordões de pássaro, além de feiras de artesanato, comida típica e muita música. Trata-se de uma das mais tradicionais festas populares do Pará. 

Festival do Carimbó

O ritmo símbolo do Pará não poderia deixar de ter seu próprio festival. A festa reúne comidas típicas, apresentações culturais e, claro, apresenta aos visitantes as tradições de Marapanim. 

Quadrilhas do Pará

As festas juninas do Pará, como não poderia deixar de ser, trazem uma infinidade de danças locais, cores e músicas tradicionais. Durante as festas, há concursos de quadrilhas, além da venda de comidas típicas em todo o estado. 

E aí, gostou de conhecer as 10 festas populares paraenses? Claro que o estado tem muito mais a oferecer, mas esta é apenas uma amostra de toda a riqueza cultural do Pará. 

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Assumimos que você está de acordo, mas você pode não aceitar caso prefira. Aceitar Ler Mais

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->