Custo de vida no Equador – preços e despesas básicas

Saiba quanto custa morar em dos países com menor custo de vida em toda a América.

- Tempo de leitura: 5 minutos -

Você já pensou em morar no Equador? O país de paisagem diversificada, que inclui Floresta Amazônica, montanhas andinas e ilhas Galápagos, é também um dos mais baratos para viver em toda a América. Como consequência, tem sido cada vez mais procurado por aposentados que querem descansar e levar uma vida confortável sem gastar muito. Confira, a seguir, o custo de vida no Equador, incluindo preços e despesas básicas

Apesar de pequeno, o Equador é um país que reserva experiências inesquecíveis. Além da receptividade dos equatorianos, as atrações, quer sejam históricas, quer sejam naturais, são imperdíveis. 

A capital, Quito, por exemplo, é rodeada por vulcões e ainda tem seu centro histórico reconhecido como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Sem falar em Cuenca, cidade colonial de belas igrejas, edifícios e ruas de pedra. 

Pensa que acabou? O Equador é o lar das incríveis llhas Galápagos, cuja fauna marcou as experiências de Charles Darwin. Ao mesmo tempo, o país segue com preços baixos nas despesas básicas, agradando o bolso de quem quer mudar sem, no entanto, aumentar os gastos mensais. 

Se o cenário lhe agrada, veja qual é o custo de vida no Equador e organize sua mudança!

Quanto custa moradia no Equador? 

O aluguel no Equador, mesmo em Quito, custa muito baixo. O ideal é que a pessoa busque um lugar já mobiliado, uma vez que móveis no país costumam ir na contramão da economia. 

Alugar um apartamento na capital, por exemplo, custa de US$ 400 a US$ 800 por mês (sim, a moeda local no país é o dólar americano). A variação é conforme a região na qual a pessoa pretende morar.

Para ajudar na busca, vale acessar o site Plusvalia. Ainda que seja em espanhol, a ferramenta é bem intuitiva e o uso de um tradutor é suficiente caso tenha alguma dificuldade com o idioma. 

É caro comprar alimentos no supermercado?

De modo geral, a conta do supermercado depende dos hábitos do consumidor. Alimentos importados custam mais caro, enquanto produtos locais são bem mais baratos. Porém, mesmo que a pessoa goste de cozinhar pratos internacionais, por exemplo, os gastos com mercearia são baixos. Em média, US$ 174 (por pessoa).

Água, luz e telefone no Equador

Assim como no Brasil, alguns condomínios já incluem determinados serviços no valor do aluguel. Contudo, mesmo que a água não seja incluída, por exemplo, o valor médio da conta é de US$ 5 por mês, por pessoa. 

O preço da energia também não é exorbitante, algo como US$ 20 a US$ 25 mensais. Entretanto, o valor pode ser um pouco maior no litoral, região de clima mais quente e que, consequentemente, demanda o uso de ar condicionado. 

A coleta de lixo também é cobrada, mas a preço módico – US$ 2 por mês. A Internet rápida custa US$ 28 por mês, enquanto os planos para telefonia móvel custam apenas US$ 7 mensais, em média. 

Sendo assim, uma pessoa solteira tem gastos médios de US$ 35 por mês com serviços públicos. Contando com outros gastos, como TV a cabo, o preço pode chegar a US$ 155. 

Quanto custa o transporte no Equador?

Comprar um carro no Equador não sai muito barato, mesmo se a ideia for adquirir um veículo usado. Isso acontece porque a depreciação é baixa, ou seja, é bom para quem quer vender, mas péssimo para o comprador. 

Por outro lado, o combustível costuma ser barato, em torno de US$ 0,5 o litro. Uma boa estimativa de custos com manutenção, gasolina e seguro de veículo gira em torno de US$ 150 por mês.

Com certeza, o transporte público acaba saindo bem mais em conta. A passagem do subúrbio de Quito para o centro, por exemplo, custa US$ 0,25. Se a ideia é ir para o vale, o preço “sobe” para US$ 1. 

Carros por aplicativo também são bem baratos, com taxas de US$ 3,50 para um trecho de 8 quilômetros percorridos. Logo, se a opção é dispensar o carro próprio, prepare-se para desembolsar meros US$ 15 por mês com Uber e ônibus.  

Lazer no Equador – é caro se divertir por lá?

Um pouco de lazer não faz mal a ninguém, não é mesmo? Um almoço tipicamente equatoriano, composto por entrada, prato principal, sobremesa e um suco custa cerca de US$ 2,50. 

Pizza e comida internacional são um pouco mais caras, mas nada tão exorbitante. O cafezinho custa cerca de US$ 1,50. O ingresso de cinema, por sua vez, custa aproximadamente US$ 4. 

É caro viajar pelo Equador?

Morando em um lugar tão lindo, chega a ser um desperdício não conhecê-lo bem! A média de gastos em destinos internos é de US$ 23 por dia, por pessoa. Os gastos incluem acomodação, atrações e algumas refeições

Outros gastos

A categoria “outros” inclui uma miscelânea de coisas, como roupas, itens para a casa, entre outros. Aí, é interessante observar que, adquirindo produtos importados, o preço pode ser mais caro, devido ao imposto de importação. Muitos acrescentam 25% ao valor final. Além disso, tem o IVA, ou imposto sobre vendas, de 12%. Então, um produto de US$ 100 custa cerca de US$ 143.

Um gasto importante a ser considerado é o seguro saúde, cuja mensalidade custa cerca de US$ 65. Se quiser uma pessoa para dar uma faxina na sua casa, prepare-se para pagar cerca de US$ 80 por mês o que, convenhamos, não é nada puxado.

Custo de vida mensal no Equador

Diante dos itens acima, é fácil considerar que, seguramente, dá para viver bem com US$ 800 a US$ 1.500 mensais, por pessoa. Porém, em cidades do interior, como Tena, o custo de vida é bem baixo, raramente passando de US$ 800 mensais, por pessoa, considerando o aluguel. 

Como se vê, o custo de vida no Equador é realmente baixo, mesmo com hábitos confortáveis. Ainda na América Latina, que tal dar uma espiada em quanto custa viver no Peru? Ou como é se aposentar na Argentina?   

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.