Como evitar erros que te farão gastar muito nas suas viagens

Dicas imperdíveis que vão te ajudar a fugir dos erros muito comuns, mas que podem prejudicar o orçamento de sua viagem.

Viajar nos permite conhecer diferentes culturas, provar sabores exóticos e, acima de tudo, traçar um verdadeiro roteiro de autoconhecimento. O ideal é que, meses antes da viagem, seja feito um planejamento de onde ficar, o que visitar, quanto tempo ficar e, claro, o investimento (até porque turismo não é gasto, concorda?). E, é aí que é preciso saber como evitar erros que te farão gastar muito nas suas viagens

Claro que nossas expectativas são sempre as melhores, acreditando que tudo correrá bem e a viagem será perfeita. Felizmente, isso acontece na maior parte das vezes. Contudo,  durante o roteiro, invariavelmente, ficamos expostos a erros ou deslizes que, por menores que sejam, podem nos custar bastante. Por isso, estamos aqui para dar dicas imperdíveis para não cair em ciladas e não correr o risco de “botar” suas férias a perder. 

Oito erros comuns em viagens e como evitar

1 Erros no visto consular

O processo de aplicação a um visto consultar pode incorrer em erros muito mais comuns do que se imagina. Isso inclui erros no preenchimento dos formulários, proximidade excessiva da viagem e, até mesmo, achar que nem é preciso um visto para embarcar. Por isso, leia, cuidadosamente, todas as informações consulares, de preferência, nos sites oficiais daquele país e não se furte a entrar em contato com a própria embaixada ou escritório. 

De posse dos formulários, novamente, leia tudo com bastante atenção, especialmente, as orientações para preenchimento. Sabe onde muita gente erra?

  • formato da data 
  • nome e sobrenome 
  • documentos exigidos
  • omissão de dados importantes 
  • vistos anteriores
  • atualizações quanto às exigências diplomáticas 

2 Roaming internacional

No exterior, um dos principais impasses se refere ao uso do telefone. As taxas de roaming costumam ser bastante altas, por isso, os viajantes fogem delas. Ainda, há a possibilidade de a operadora nem funcionar no destino! Daí, o turista confia em usar a Wifi, colocar o celular no modo avião ou adquirir um SIM card que não funciona muito bem. Bom, nem sempre há WiFi disponível, ficar sem comunicação é um problema e seu telefone pode não aceitar o cartão local. 

Assim, confira com sua operadora se há abrangência no destino visitado ou existe algum risco de bloqueio do seu aparelho. Outra opção é pesquisar bem e adquirir um chip de celular internacional com prazo limitado ao período de sua viagem. Mas, faça isso antes de embarcar!

3 Cuidado com golpes

Certamente, você já deve ter ouvido lendas urbanas acerca de alguns destinos, no que diz respeito a golpes. Caso não tenha ouvido: Não! Não é só no Brasil que nos deparamos com essas situações. 

Cidades que cobram mais caro dos turistas, produtos “de graça” oferecidos na rua, troco com moeda falsa no comércio, taxímetro quebrado, entre outros histórias da carochinha. Por isso, pesquise sobre golpes comuns nas cidades que visitar, fique atento aos arredores, não aceite convite de estranhos e esteja sempre vigilante. 

4 Problemas de hospedagem 

Problemas com hospedagem são cada vez mais comuns, principalmente com a adesão às reservas por sites de busca. Uma das principais ocorrências é reservar – e pagar – por uma acomodação e, ao chegar no destino, o local simplesmente não existir. Também é frequente comprar “gato por lebre”, isto é, acreditar nas belas fotos do lugar e, na hora do checkin, encontrar camas quebradas, itens faltando ou um cheiro desagradável. 

Portanto, a dica é sempre tratar com o locatário e efetuar o pagamento pela própria plataforma. Não sem antes checar comentários de hóspedes anteriores. Também desconfie daquelas acomodações que parecem boas demais para serem verdade. Na dúvida, recorra aos tradicionais meios de hospedagem, como hotéis, hostels e AirBnB. Ah, de preferência, faça a reserva no site oficial. 

5 Planejamento

O tradicional ditado do “um é pouco, dois é bom, três é demais” cai como uma luva no que diz respeito ao planejamento de viagens. Planejar todos os detalhes gera ansiedade e falsas expectativas, enquanto viajar sem nada em mente pode dar bastante errado. Busque o equilíbrio e tente seguir algumas dicas para não tornar sua viagem estressante, nem dar com os burros n’água quando chegar lá: 

  • procure não criar um itinerário, limitando-se a definir apenas os lugares que quer visitar. Evite a pressa ou horários marcados 
  • adquira os tickets com antecedência, garantindo entradas e preços até mais baratos
  • deixe-se levar pelas zonas turísticas, mas sem se perder nos preços excessivos 

6 Transporte local

Usar o transporte local ajuda a economizar, permite uma imersão nos costumes locais e, de quebra, preserva o meio ambiente. Se possível, pesquise em sites locais sobre o uso do transporte público, os tipos e as linhas, principalmente aquelas próximas às atrações turísticas, além de passes (city pass). Por outro lado, tenha cautela caso o itinerário ofereça riscos a mulheres viajando sozinhas ou demande perguntar detalhes a desconhecidos. 

Se achar mais seguro usar o táxi, consulte os preços de corrida e como são cobrados. Prefira empresas oficiais, evitando tarifas absurdas e motoristas duvidosos. Verifique também a possibilidade e segurança de usar o transporte por aplicativos.  

7 Seguro viagem

Está aí um produto que compramos para não usar! Mas, ruim com ele, muito pior sem! Nem todo país é coberto por um Sistema Único de Saúde, menos ainda pelo seu plano privado! Daí, uma perna quebrada ou uma simples dor de dente podem custar, literalmente, uma fortuna! Isso sem falar em bagagens desviadas, atrasos em conexão, entre outros probleminhas desagradáveis, mas frequentes em viagens. 

Ademais, a aquisição de um seguro viagem com cobertura mínima pode ser exigência de entrada em certos países, como aqueles pertencentes ao Tratado de Schengen. Então, não economize onde não deve e faça seu seguro viagem antes de embarcar. 

8 Conversão de moeda

A tecnologia, bendita seja, tem ajudado viajantes pelo mundo através de serviços, como bancos online sem cobrança de tarifas para conversão de moeda. Abrindo uma conta online, é possível adquirir um cartão de débito e conferir o saldo pelo próprio celular. Alguns destinos também são cobertos pelos caixas eletrônicos ATM, sem taxas. Tudo isso evita carregar altas somas de dinheiro em espécie. 

Se preferir usar seu cartão internacional, se prepare para as possíveis taxas de IOF, bastante salgadas por sinal. Para pagar taxas em transações, é sempre bom levar um valor em espécie para sua viagem internacional.

E aí, o que achou das dicas de como evitar erros que te farão gastar muito nas suas viagens? Alguma já deu certo para você? Conte sua experiência!

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.