Tudo o que você precisa saber sobre a Carta Verde

O seguro é exigido para dirigir um carro estrangeiro em alguns países, como Portugal e Argentina.

- Tempo de leitura: 4 minutos -

O sonho de sair dirigindo sem destino, aquele “mochilão” por países diversos, certamente deve fazer parte da sua vida. Felizmente, o desejo não é tão distante, mas para embarcar nele, antes é preciso conhecer as regras dos lugares por onde vai passar. Uma delas se refere à permissão para conduzir um veículo estrangeiro e o que é necessário para fazê-lo, inclusive seguro. Confira, a seguir, tudo o que você precisa saber sobre a Carta Verde, documento exigido em vários países, inclusive na América do Sul. 

Muita gente, ao planejar um roteiro de carro, pensa na licença para dirigir, pois alguns países não aceitam apenas a carteira de habilitação válida em território brasileira. Considera-se, também, o aluguel de veículos e as condições para locação e devolução em países diferentes. 

Porém, uma opção cada vez mais frequente é cruzar fronteiras em seu próprio carro, o que é incentivado por dezenas de reportagens relatando as aventuras de viajantes pelo mundo. 

Mesmo que a pessoa economize na locação do veículo, é importante planejar, com antecedência, a documentação e valores necessários para o roteiro. Um dos seguros exigidos, por exemplo, é a Carta Verde, válida em alguns países da Europa e, também, Mercosul. Saiba mais sobre ela nos tópicos abaixo. 

Tudo o que você precisa saber sobre a Carta Verde

1 O que é a Carta Verde?

A carta verde é um seguro obrigatório para veículos registrados no Brasil, tanto de passeio quanto de aluguel, que estejam em trânsito pelo Mercosul, isto é, Argentina, Paraguai e Uruguai. 

Também válido para motos, a carta ainda é exigida em outros países, como Venezuela. De fato, é um seguro direcionado a terceiros em caso de sinistros que ocasionem danos físicos ou materiais. Em caso de acidentes, por exemplo, o proprietário do outro veículo será ressarcido pela carta verde. 

Para efeitos de comparação, a carta verde, instituída em 1995, funciona como o DPVAT e é obrigatório para veículos não matriculados no país de ingresso em viagem internacional. O nome vem da própria cor do documento que é literalmente verde. 

2 Como faço para tirar a carta verde?

Existem diversas formas de tirar a carta verde, todas elas bem rápidas. A mais comum é pelas seguradoras, com a ajuda de um corretor. O profissional consegue emitir a carta em apenas 30 minutos após o envio dos documentos necessários e, também, o pagamento da taxa. 

Também é possível obter a carta em agências bancárias onde o usuário tenha conta, em consulados e, em último caso, na fronteira do país. 

Certo, mas de que documentos preciso para tirar a carta verde? E quanto custa para tirar a carta verde?

Normalmente, as seguradoras pedem que o solicitante envie documento do veículo, carteira de motorista, RG ou passaporte. O preço da carta verde varia conforme o período da contratação, que pode ser de três a trinta dias, além da cobertura desejada. Existem valores, por exemplo, de US$ 20 para três dias a US$ 65 para 30 dias. 

3 O que a carta verde cobre?

A cobertura da carta verde inclui danos materiais ou corporais a terceiros originados por acidentes. Mas, atente-se na hora da contratação, pois há planos que incluem somente danos materiais. 

E o que a carta verde não cobre? Ainda que seja bastante abrangente, existem ocorrências não incluídas na cobertura da carta verde, tais como problemas mecânicos. O próprio usuário também não é coberto pela carta verde, razão pela qual o documento não dispensa a contratação de um seguro. 

Em suma, a carta verde cobre

  • Danos materiais causados à terceiros
  • Danos corporais como morte, invalidez e despesas médico hospitalares causados à terceiros
  • Custos judiciais e também o pagamento de honorários ao advogado do segurado

Porém, é importante lembrar que o usuário perde o direito à cobertura caso esteja dirigindo sob efeitos de álcool ou drogas ilícitas. Caso o veículo esteja envolvido em apostas de velocidades ou conduzido por alguém não habilitado, também não há cobertura. 

Ainda, se os danos causados pelo motorista segurado forem a alguém da família, a carta verde também não cobre. Vale lembrar que, se o carro for registrado no nome de outra pessoa, e não do condutor, é necessário um documento assinado em cartório e enviado ao Consulado para ser autorizado. 

4 Qual a cobertura da carta verde?

A cobertura da carta verde tem limite de US$ 20 mil dólares por terceiro para danos materiais e US$ 40 mil dólares por pessoa para danos corporais. Para os gastos honorários de advogados, defesa do segurado e custas judiciais, a indenização é de até 50% do valor, também em dólar. 

E qual a vigência da carta verde? A carta é válida pelo período de estadia no país, com limite de até um ano. 

5 O que fazer em caso de acidente?

Entre em contato com a sua seguradora e peça orientações quanto aos procedimentos. Tudo será acertado no país onde estiver. 

E aí, tirou suas dúvidas sobre a carta verde? Mesmo que a contrate, não se esqueça de fazer um seguro próprio, uma vez que o documento só tem cobertura para terceiros. Veja também mais dicas sobre viagens no site! 

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.