Tudo o que os viajantes precisam saber diante da pandemia

A pandemia do novo coronavírus desencadeou problemas com passagens e pacotes de viagens já marcadas. Veja as informações sobre tudo o que os viajantes precisam saber diante da pandemia.

- Tempo de leitura: 6 minutos -

O novo coronavírus surgiu no cenário mundial de forma rápida e assustadora, alterando a realidade do mundo. O sistema de saúde enfrenta um dos seus maiores desafios, assim como o setor econômico e de serviços em geral. 

Dentro da problemática, o setor de turismo é um dos setores de serviços bastante conturbados e, atualmente, inoperantes. Diante das recomendações dos sistemas de saúde, que orientam para que ocorra o isolamento social, todos os planos de viagens e passagens compradas tiveram que ser suspensos.

Diante disso, quais são as ações indicadas para resolver essa situação e não perder os planos, passagens e os direitos dos viajantes? 

Confira algumas dicas e recomendações para os turistas que tinham compromissos com empresas de turismo. 

Tudo o que os viajantes precisam saber

O turismo foi um dos setores mais prejudicados pela pandemia do novo coronavírus. Muitas viagens estão sendo canceladas, frequentes pedidos de reembolso ou alteração da data. A falta de turistas poderá acarretar problemas para as empresas da área. Veja o que fazer com as passagens e contratos de viagens: 

Passagens

As pessoas que já haviam comprado passagens aéreas para os meses compreendidos depois da determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da implantação das medidas de quarentenas, poderão remarcar suas passagens para até 12 meses após o fim da pandemia. 

Esta é uma determinação das companhias aéreas brasileiras, que firmaram um acordo com o Ministério Público Federal (MPF).

A decisão foi assinada pelas empresas Azul, Gol, Latam, Passaredo e MAP, estabelecendo regras para reembolso, remarcação e cancelamento das passagens. Tudo isso está especificado do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Além disso, o presidente da república, Jair Bolsonaro, assinou uma medida provisória que determina que as companhias aéreas terão até 12 meses para reembolsar os clientes que não puderem viajar ou solicitarem diretamente o reembolso em função da pandemia. 

As medidas e determinações implementadas até o momento foram tomadas visando o auxílio tanto ao consumidor, quanto às empresas aéreas e agências de turismo. 

Com isso, o cliente pode notar que seus direitos estão assegurados e podem, com tranquilidade, fazer negociações com as empresas, remarcando suas passagens, evitando o risco de colapso financeiro e falência dessas instituições. 

Intercâmbio

De acordo com Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) os clientes que já haviam fechado pacotes de viagens poderão remarcar o intercâmbio sem custo em um prazo de até dois anos. Por outro lado, poderão também solicitar o cancelamento e reembolso total da viagem.

Essa medida foi determinada com apoio do Ministério Público Federal (MPF) junto a mais de 70% das empresas de intercâmbio brasileiras.

Hotéis

Os pacotes, serviços e reservas de hotéis poderão se apoiar em outra medida provisória assinada por Jair Bolsonaro. 

Na Medida, de nº 948, é estabelecido que as empresas responsáveis por esses serviços possam oferecer remarcação e outras compensações antes de determinarem o reembolso. 

Assim, a empresa não é obrigada a reembolsar os valores pagos pelos clientes caso assegure a remoção, disponibilidade de crédito para outros serviços ou negociações formais entre o contratante e a empresa. 

Ou seja, poderá ocorrer do cliente não receber o reembolso como primeira opção de negociação.

Além disso, a medida assegura que as reservas de hotéis que serão adiadas deverão ser feitas seguindo a sazonalidade e categoria do serviço escolhido na contratação. 

Milhas

Diante das medidas de isolamento social e interrupção de viagens, as milhas já adquiridas pelos clientes também deverão seguir novas determinações. Para as passagens compradas com milhas, cada empresa aérea poderá determinar as especificações de reembolso, crédito ou adiamento das passagens. 

O mercado de milhas estabelece que os usuários terão mais tempo para usufruir de seus pontos. Além disso, poderão vendê-las, trocá-las, ou acumulá-las por mais tempo, mantendo o status de passageiro pelo período da pandemia, mesmo sem utilizá-las. 

O que acontecerá daqui para frente?

Muitas pessoas e empresas estão inseguras sobre o futuro do turismo. Muitas agências de viagens, empresas aéreas e de serviços estão lançando novos pacotes e oportunidades para o pós-pandemia

Entretanto, esse é um cenário incerto e deverá ser planejado com muito cuidado, pois não é possível ter uma visão totalmente certa de como estará o cenário mundial e de quanto tempo resta, ao certo, para o fim da pandemia. Isso porque não há totalmente uma previsão quanto ao fim das medidas que determinam o isolamento social. 

Assim, um dos maiores cuidados que se deverá colocar na ponta do lápis antes de embarcar nos planos e contratos futuros é em relação à situação financeira pessoal até esse tão esperado fim. 

Além disso, é preciso checar a qualidade e credibilidade da empresa, somada a saúde financeira da mesma. Esse passo é importante para analisar se essa empresa conseguirá resistir a esse cenário pandêmico e inoperante por esse tempo.

Para mais informações, não deixe de conferir dicas valiosas antes de fechar sua viagem em época de pandemia: Precauções na hora de fechar uma viagem durante a pandemia

Passagens sem destino e sem data

Algumas companhias aéreas lançaram pacotes de viagens sem destino fixo, ou data, com passagem, hospedagem e traslado inclusos.

Uma dessas empresas é a Azul Viagens. Os pacotes oferecidos são divididos entre “4 dias de frio”, “7 dias de frio”, “4 dias de praia” e “7 dias de praia”.

Existe um período determinado para utilização dos pacote e também destinos disponíveis. As datas determinadas variam entre o dia 1º de julho e 15 de dezembro de 2020, ou 20 de janeiro e 30 de abril de 20212, não incluindo as datas do Carnaval. 

Os destinos para os dias frios podem ser escolhidos entre Gramado, Foz do Iguaçu ou Curitiba. Para os dias de praias os destinos são Maceió, Porto Seguro, Natal, Porto de Galinhas, Fortaleza, Salvador ou João Pessoa. 

As outras especificações estão todas listadas na página da Azul Viagens.

Pacote Quarentena

Algumas empresas estão se desdobrando e criando novos pacotes para continuar recebendo clientes no período da pandemia e de isolamento social. Exemplo disso, são os hotéis que vendem “pacotes quarentena”. 

Um hotel localizado em Zurique, o Le Bijou Hotel & Resort, passou a disponibilizar um pacote de 14 dias em quartos de luxo, com diária entre US$ 12.000 e US$ 14.000. O pacote conta com check-ups médicos e testes de coronavírus sem sair do quarto.

No Brasil, o Hotel Vivenzo, localizado em Belo Horizonte, oferece serviços com zero interações entre funcionários e clientes. As diárias são oferecidas a partir de R$ 300, completamente adaptada com total segurança e impedimentos de disseminação de coronavírus. 

Assim, as pessoas podem optar por viver esse período de quarentena, hospedados em um hotel. 

Entretanto, as maiores recomendações dos principais órgãos de saúde são para as pessoas ficarem em suas respectivas casas, não correndo o risco de interações e possibilidades de contaminação. Além disso, todo o futuro do turismo e do mundo são incertos, sem previsões consideradas totalmente concretas. Assim, as pessoas devem ter responsabilidade e sempre seguir as medidas dos órgãos de saúde.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.