Conheça dez cidades que pagam para você morar pelo mundo!

Desde cidades medievais até grandes capitais, as oportunidades incluem incentivo a recém-graduados, famílias e até profissionais freelancer.

O desejo de morar no exterior povoa o imaginário de muita gente, mas o sonho esbarra no receio de não encontrar trabalho. Afinal, como se manter em um país distante e desconhecido sem emprego? A oportunidade vem através de, pelo menos, cidades que pagam para morar em todos os cantos do mundo! Sim, isso existe, e os programas incluem desde ilhas mediterrâneas até grandes capitais. 

Na Itália, por exemplo, cidades medievais vêm se esvaziando pelo envelhecimento da população, ao mesmo tempo em que os jovens saem em busca de estudo e emprego na cidade grande. Na outra ponta, estão metrópoles canadenses que incentivam a mão de obra especializada de outros países por meio de programas de pós-graduação. 

Conheça, a seguir, dez cidades que pagam para você morar e suas condições para aplicação.

Cidades que pagam para você morar

1 Niagara Falls (EUA)

Niagara Falls (EUA)
Niagra Falls, nos EUA, possui programa de incentivo a jovens recém formados

Niagara Falls, nos Estados Unidos, recebe milhares de turistas todos os anos e até o Pica Pau resolveu aprontar das suas por lá. Mas, apesar de tanta gente andar pela cidade, a massiva maioria não mora na cidade, razão pela qual o contingente populacional caiu de forma drástica. No intuito de resolver o problema, o governo implantou um programa que incentiva jovens recém formados a se mudar para lá!

Graduados com diploma de bacharel ou até mesmo nível técnico que precisam quitar seus empréstimos estudantis são premiados com mais de U$ 3500 anuais ao se mudar para Niagara Falls. Em troca, precisam residir na cidade por, pelo menos, dois anos, em uma área pré-definida. Conheça o programa aqui.

2 Alaska (EUA)

Alaska (EUA)
No Alasca, os habitantes inscritos junto ao governo, recebem royalties da exploração do petróleo na região

O território do Alasca foi anexado ao Estados Unidos em 1867 e, atualmente, é o maior estado norte-americano em extensão territorial. No entanto, tanta terra ainda é pouco habitada e a densidade demográfica por lá é de, apenas, 0,42 hab/km².

No intuito de povoar a região, o governo recorre a fatos históricos. Nos tempos da Corrida do Ouro (Gold Rush), descobriu-se que o Alasca possui reservas de petróleo, de forma que os moradores recebem dinheiro referente aos royalties.

Mas, claro que existem condições para isso! Os moradores devem se inscrever, todo ano, no site oficial para receber U$ 2 mil através do Fundo Permanente criado pelo Governo. No entanto, devem morar lá, não ter tido condenações ou prisões e, ainda, não passar mais de 180 dias longe da cidade.

3 Curtis (EUA) 

Curtis (EUA) 
A pequena cidade de Curtir oferece a seus futuros moradores lotes para a construção de suas casas

Também nos Estados Unidos, mas no estado do Nebraska, a pequena Curtis tem menos de 10 mil habitantes e recorre a programas para não virar cidade fantasma. Aqui, o futuro morador não recebe, exatamente, valores em dinheiro, mas lotes livres em áreas determinadas para construir suas casas de alvenaria ou modulares.

Se sua intenção é ingressar no programa, não se preocupe, pois todas as regiões incluídas na proposta são pavimentadas. Saiba mais aqui.

4 Saskatchewan (Canadá)

Saskatchewan (Canadá)
A província de Saskatchewan oferece bônus para futuros moradores, visando fortalecer sua força de trabalho especializada

 

O Canadá é um país conhecido por incentivar a migração de profissionais qualificados de outros países em diversas áreas. Saskatchewan, uma dez províncias canadenses que está localizada nas pradarias do centro-oeste, não tem, propriamente, poucos moradores. Afinal, são cerca de 1,164 milhão de pessoas conforme dados de 2017! Mas, por que não trazer recém-graduados de outros países para reforçar sua força de trabalho especializada? 

O programa oferece bônus de até 20 mil dólares canadenses para quem quiser morar por lá e fazer cursos de pós-graduação. As condições de aplicação podem ser visualizadas aqui

5 Tulsa (EUA) 

Tulsa (EUA) 
Tulsa, nos Estados Unidos, incentiva jovens freelancers a se instalarem na cidade

As cidades pequenas não são as únicas a oferecer incentivos para moradores de outras localidades. Tulsa, no estado americano de Oklahoma, quer atrair gente talentosa para lá! Por isso, desenvolveu o Tulsa Remote Program, iniciativa que paga até U$ 10 mil para jovens freelancer dispostos a morar lá pelo mínimo de um ano. Além do valor, o programa ainda oferece outras vantagens, como desconto no aluguel e mesa garantida no coworking da cidade. 

Para aplicar, o candidato deve atender a alguns requisitos, entre eles: 

  • ter um trabalho remoto
  • ter visto de trabalho nos EUA
  • ser maior de idade 
  • ter disponibilidade para se mudar dentro de 6 meses logo após a aprovação 

6 Baltimore (EUA)

Baltimore (EUA)
Baltimore, nos Estados Unidos, oferece auxílio para quem deseja um lugar para morar

A cidade histórica portuária vem sofrendo com o aumento dos lotes baldios e a consequente degradação de diversos bairros. A solução veio com o programa Live Baltimore que oferece até U$ 10 mil para quem quiser um lote vago e construir. Entre as vantagens da campanha, estão empréstimos para reforma de residências ou, ainda, restauração de propriedades históricas.

7 Vermont (EUA)

Vermont (EUA)
Vermont, nos EUA, incentiva profissionais que trabalham remotamente a se mudarem para lá, oferecendo um auxílio financeiro

 

Mais uma oportunidade para trabalhadores remotos! Vermont, um dos estados menos populosos dos Estados Unidos, criou o Think Vermont, programa que incentiva pessoas que trabalham remotamente a morar por lá. Os aprovados podem receber até U$ 10 mil como incentivo, conforme as condições do programa. Uma das condições para aplicação é ter uma empresa norte-americana como cliente.

8 Molise (Itália)

Molise (Itália)
Molise, na Itália, oferece benefício de até 3 anos, para novos moradores, na tentativa de manter sua população

Nos últimos anos, uma verdadeira enxurrada de notícias sobre cidades italianas que pagam para morar vêm sendo publicadas. A razão? São municípios ou vilas com poucos moradores em idade ativa, já que os jovens se mudam para cidades maiores em em busca de oportunidades. Uma das regiões que aderiu ao movimento foi Molise, no sul da Itália, cuja população aproximada a 350 mil habitante vem reduzindo de forma gradativa. 

A prefeitura paga € 700 por mês, benefício que se estende por três anos. A condição é investir em novos negócios na região, além de escolher uma das 106 localidades com menos de 2 mil habitantes. Além dos incentivos individuais, cada localidade sub povoada receberá  € 10 mil por mês para investir em infraestrutura e atividades culturais.

9 Antikythera (Grécia)

Antikythera (Grécia)
Antikythera, na Grécia, é um cenário paradisíaco que incentiva novos moradores com um cheque mensal

Já pensou em morar em uma ilha grega paradisíaca, tendo a oportunidade de vislumbrar o Mar Mediterrâneo todos os dias? Seu sonho pode ter se tornado realidade! A ilha grega de Antikythera, próxima a Creta, quer aumentar sua população de 40 habitantes permanentes com um recente programa de repovoamento. Os selecionados recebem cheque mensal de € 500 por três anos, e um terreno com casa. Quatro famílias atenienses já se mudaram e a escola primária pode, finalmente, reabrir suas portas! 

Há empregos para pescadores, construtores e padeiros, mas a ilha é quase que remota, sem bancos ou caixas eletrônicos. Apesar de ter eletricidade e acesso à internet, os moradores contam apenas com uma loja que vende alimentos básicos, legumes cultivados na ilha e vinho. A prioridade é para gregos, mas pessoas de outras nacionalidades também são aceitas. Informações podem ser vistas no site oficial da ilha.

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Especial: Viagem com segurança durante a pandemia