Saiba a história e curiosidades sobre o famoso letreiro de Hollywood

O emblemático letreiro tem quase 100 anos e se tornou um dos símbolos da cultura pop e do mundo cinema.

É fato! O letreiro de Hollywood, ou Hollywood Sign, é um marco tão arraigado na cultura pop que se tornou o símbolo da magia do cinema. Quando se pensa em Hollywood, lá estão as famosas casas e estrelas do cinema e, claro, a placa de referência que fica no topo da encosta sul do Monte Lee. Saiba a história e curiosidades sobre o famoso letreiro de Hollywood, o cartão postal do cinema americano. 

As maiores histórias já contadas e memórias associadas ao negócio multimilionário da sétima arte são sintetizadas em Hollywood. O legado da indústria cinematográfica é inegável e simbolizado em um marco imortal que, curiosamente, nem foi criado em um propósito direcionado aos filmes. Erguido em 1923, passou por várias mudanças e reformas, sempre figurando em fotos e películas. 

A história do letreiro de Hollywood… como tudo começou

Na década de 20, o editor do Los Angeles Times, Harry Chandler, decidiu investir em um empreendimento imobiliário de luxo chamado Hollywoodland, capitalizando o crescente reconhecimento de Hollywood como a meca da indústria do cinema. Para promover o projeto, Chandler e seus parceiros investiram milhares de dólares em algo que chamasse a atenção para a área.

Assim, mandaram confeccionar as letras maiúsculas brancas de 15 metros de altura que, foram posteriormente ancoradas em postes de telefone. A obra ficou sob a responsabilidade de H. J. Whitley e, inicialmente, tinha o propósito de ser provisória, apenas para divulgação do empreendimento. As letras também eram iluminadas por 4.000 lâmpadas para, claro, piscar durante a noite.

Letreiro de Hollywoodland
Letreiro de Hollywoodland

O enorme outdoor piscava em quatro estágios – “Holly”, depois “Wood”, depois “Land” e, por fim, a palavra inteira, “Hollywoodland”. Artigos de jornal da época mostram que a placa foi concluída em 1923, no entanto, a data exata é contestada. A área vizinha se tornou um ponto importante da indústria cinematográfica e o letreiro se tornou icônico por aparecer em muitos filmes. Assim, a prefeitura optou por deixá-lo como estrutura permanente. 

Porém, a estrutura acabou abandonada e, por ter sido projetada para durar apenas 18 meses, foi se deteriorando. A manutenção regular parou quando Hollywoodland foi à falência com a Grande Depressão. O “H” até tombou, de modo que o letreiro era lido como “Ollywoodland”. A propriedade da placa passou para a cidade em meados da década de 1940 e a Comissão de Recreação e Parques de L.A. queria que fosse destruída. 

Após a falência do empreendimento Hollywoodland, o letreiro começou a se deteriorar
Após a falência do empreendimento Hollywoodland, o letreiro começou a se deteriorar

A mudança…

Mas a Câmara de Comércio de Hollywood interveio e, em 1949, removeu as últimas quatro letras – LAND, restaurando as demais que conhecemos hoje – HOLLYWOOD. Apesar da restauração, o letreiro de Hollywood começou a se deteriorar mais uma vez. O terceiro “O”, por exemplo, caiu e incendiários atearam fogo na parte inferior do segundo “L”. O vandalismo  seguiu até a década de 70, quando o letreiro estava praticamente destruído. 

Em 1978, um grupo de pessoas com alto poder aquisitivo resolveu reformá-lo perante a comoção generalizada para o resgate do símbolo do cinema. Em 1978, o fundador da revista Playboy Hugh Hefner, deu um baile de gala em sua mansão, no qual ele e outros oito doadores, incluindo o músico de rock Alice Cooper, prometeram quase US$ 28.000 cada um para financiar uma substituição. 

Após três meses sem sinalização das doações, a construção continuou e foi concluída no final daquele ano. O novo letreiro tinha quase o mesmo tamanho do antigo, mas com melhorias estruturais, como fundações de aço em vez de postes de telefone. Cada pessoa doou US$ 27.777 para comprar novas letras, com 14 metros de altura e largura variável entre 9,4 e 12 metros. Os doadores responsáveis pelas letras da nova placa foram: 

  • H – Terrence Donnelly, editor do Hollywood Independent Newspaper
  • O – Giovanni Mazza, produtor italiano de filmes
  • L – Les Kelley, criador da empresa Kelley Blue Book
  • L – Gene Autry, cantor, ator e empresário
  • Y – Hugh Hefner, fundador da revista Playboy
  • W – Andy Williams, cantor
  • O – Warner Bros. Records
  • O – Alice Cooper, cantor que doou em memória de Groucho Marx
  • D – Dennis Litke, doou em nome de Mathew Williams  

Desde então, tem recebido periodicamente uma nova camada de tinta branca, sendo a mais recente em dezembro de 2012. O magnata Hugh Hefner não parou suas doações na década de 70 e contribuiu para outra revitalização ocorrida em 2010. 

Histórias e Curiosidades: Letreiro de Hollywood atualmente
Letreiro de Hollywood atualmente: o monumento periodicamente é restaurado

Curiosidades sobre o letreiro de Hollywood

1. O letreiro de Hollywood é mais jovem do que o próprio distrito.

Harvey e Daeida Wilcox fundaram Hollywood em 1887 como uma comunidade de seguidores do movimento de temperança. Hollywood foi incorporada como um município em 1903, se fundindo com Los Angeles em 1910, um ano antes de o primeiro estúdio de cinema se mudar para lá.

2. Uma atriz tirou a própria vida lá.

Em 1932, a atriz Peg Entwistle mudou-se de Nova York para Los Angeles para tentar a sorte no cinema. Logo depois, recebeu papel em um filme de mistério e assassinato, mas o estúdio não renovou seu contrato. No mês de setembro, a jovem de 24 anos subiu até o “H” do letreiro de Hollywoodland e pulou. Seu corpo foi descoberto mais tarde em um declive. Vários jornais creditaram às desilusões na carreira de atriz como a razão do suicídio. 

Ironicamente, uma carta havia sido enviada a ela pouco antes de sua morte, oferecendo-lhe o papel principal em peça sobre uma jovem que comete suicídio.

3. O letreiro é alvo dos mais variados protestos e manifestações 

Em 1º de janeiro de 1976, o estudante Danny Finegood, da Cal State Northridge, e alguns amigos foram até o letreiro de Hollywood com cerca de US$ 50 em tecido preto e branco. Eles usaram o material para fazer a leitura “Hollyweed”, em celebração a uma lei estadual que descriminalizou o porte de pequenas quantidades de maconha. Isso seria parte de um projeto de arte pelo qual teria recebido um A. 

Letreiro de Hollywood: Hollyweed
A mesma “brincadeira” feita por Danny Finegood, repetiu-se no ano novo de 2017

Finegood mudaria a placa mais três vezes – uma para ler “Holywood” na Páscoa, outra para ler “Ollywood” em protesto contra o Irã e uma terceira para ler “OIL WAR”, em protesto contra a Guerra do Golfo Pérsico. Outros brincalhões mudaram a placa antes dos jogos de futebol universitário e, também, para expressar apoio à candidatura presidencial de Ross Perot. 

Além disso, muita gente já se penduraram nas placas e as vandalizaram. Como resultado de tais travessuras, o acesso público ao local é proibido e câmeras de segurança foram instaladas, juntamente com uma cerca de arame farpado, sensores de movimento e microfones.

4. Casas luxuosas quase foram destruídas.

O excêntrico magnata dos negócios, Howard Hughes, comprou 138 acres a oeste do letreiro em 1940, com a intenção de construir uma mansão para ele e sua namorada, a atriz Ginger Rogers. Os planos foram abandonados depois que Rogers terminou com ele. Nada mais aconteceu com o terreno até 2002, quando a propriedade de Hughes foi vendida para uma empresa de investimento sediada em Chicago. 

Para evitar que mais casas luxuosas fossem construídas, vários estúdios de cinema, atores e fundações aumentaram o preço do terreno pedido de US$ 12,5 milhões, com Hugh Hefner fornecendo os US$ 900.000 finais. O local agora é um parque protegido.

5. O sinal foi destruído em vários filmes.

O letreiro de Hollywood apareceu em dezenas de filmes, de Caça aos Gângsteres (2013), Argo (2012) e Amizade Colorida (2011) a filmes mais antigos como De Volta ao Vale das Bonecas (1970) e Down Three Dark Streets (1954). Os diretores parecem gostar de destruí-lo. Em Terremoto (1974), as letras do sinal caem do Monte Lee, uma por uma. Em Superman (1978), ele se curva durante um terremoto. Em 1941 (1979), um piloto atira nele. 

Já em The Rocketeer (1991), um vilão com um foguete defeituoso bate no letreiro, enquanto no filme Fuga de Los Angeles (1996), a placa parece estar à beira de pegar fogo. Poderoso Joe (1998) mostra um gorila destruindo um “O”, enquanto O Dia Depois de Amanhã (2004) filma um tornado levando o marco. Por fim, em Resident Evil 4: Recomeço (2010) retrata um apocalipse zumbi o deixando em frangalhos.

O letreiro de Hollywood completamente destruído no filme Resident Evil 4: Recomeço
O letreiro de Hollywood completamente destruído no filme Resident Evil 4: Recomeço

6. A placa foi modificada para receber o papa 

Finegood não foi o único a modificar a placa. Em setembro de 1987, quando o Papa João Paulo II foi a Los Angeles, as letras foram arranjadas para mostrar a palavra HOLY WOOD, que poderia ser traduzida como “terra sagrada”. Já em abril de 1987, as letras exibiam FOX, para promover a rede de televisão com o mesmo nome. 

7. A placa aparece em vários filmes 

Nem só de destruição vive a placa nas produções cinematográficas! Desde a sua criação, o letreiro tem aparecido em diversas obras do cinema. As letras brancas de Hollywood já marcaram presença também em desenhos animados, como Shrek 2, e séries de TV. Em Os Simpsons, a cidade de Springfield, onde moram Homer e sua turma, tem o seu próprio letreiro inspirado no de Hollywood.

O letreiro de Springfield, em Os Simpsons, é inspirado no letreiro de Hollywood
O letreiro de Springfield, em Os Simpsons, é inspirado no letreiro de Hollywood

Você conhecia a história e tantas curiosidades sobre o letreiro de Hollywood? Já foi até a cidade e conseguiu fotografá-lo, mesmo que de longe? 

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.