Já está valendo! Rio de Janeiro passa a exigir comprovante de vacina para espaços públicos – Saiba mais!

Medida tem como objetivo atrair uma maior adesão da população à vacina. Para frequentar locais públicos será exigido o “passaporte da vacina”.

- Tempo de leitura: 1 minuto -

O Rio de Janeiro anunciou que exigirá comprovante de vacinação contra Covid-19. Esse documento será necessário para entrar em espaços públicos, incluindo cinemas, estádios e pontos turísticos icônicos, como a estátua do Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. A medida passa a valer nesta quarta-feira (15).

A partir desse mês de setembro, a capital turística do Brasil exigirá um “passaporte da saúde” para uma série de lugares. Isso inclui museus, academias, teatros e centros de conferências, disse o prefeito Eduardo Paes em entrevista coletiva.

Booking.com

Restaurantes, bares e shopping centers, entretanto, não impõem a exigência.

“Vamos dificultar as coisas para aqueles que não querem ser vacinados”, disse Paes.

Os visitantes estrangeiros terão permissão para apresentar um comprovante de vacinação internacional, disse a autoridade.

O Rio, uma cidade de 6,8 milhões de habitantes famosa por suas belas praias e vistas deslumbrantes, viu recentemente um aumento de infecções por coronavírus por causa da variante Delta, disse o secretário municipal de saúde, Daniel Soranz.

A cidade registrou um total de 30.000 mortes por Covid-19.

Cerca de 87% dos residentes com mais de 12 anos receberam pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, com 42% totalmente vacinados.

Paes disse que parte do objetivo era encorajar as pessoas a se vacinarem totalmente.

“Nosso objetivo é proteger as pessoas que acreditam na ciência”, disse ele – amplamente lido como uma farpa dirigida ao presidente Jair Bolsonaro.

“E também para fazer as pessoas serem vacinadas. É inconcebível que as pessoas que pensam que estão protegidas sem a vacina tenham uma vida normal. Não terão”, disse Paes.

O Rio aposta na ampla vacinação e no lançamento de terceiras doses de vacinas para populações vulneráveis ​​para trazer de volta eventos queridos como o carnaval, que teve de ser cancelado este ano por causa da pandemia.

O Brasil, um país de 213 milhões de habitantes, registrou mais de 577.000 mortes por Covid-19, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.