Gasolina no Brasil é considerada “barata” e deve haver mais aumentos – Entenda!

Mudanças no ICMS podem não ser o bastante para diminuir o preço dos combustíveis

- Tempo de leitura: 4 minutos -

Um dia depois que a Câmara aprovou mudanças na forma de cálculo do ICMS estadual sobre o preço dos combustíveis, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, moderou as expectativas em torno da rápida aprovação da proposta no Senado. Ele disse a repórteres que os senadores consultarão os governadores estaduais e prefeitos municipais – que se opõem à medida porque ela cortará suas receitas.

“Não podemos prever para que lado o Senado irá, mas como se trata de uma arrecadação local, devemos ouvir os governadores sobre o assunto”, disse ele na noite de quinta-feira.

De acordo com o projeto de lei aprovado por ampla maioria na Câmara, o ICMS incidente sobre os combustíveis não seria mais baseado na média de 15 dias dos preços dos combustíveis. Em vez disso, ele usará uma média de dois anos e será predeterminado para um ano inteiro, o que o presidente da Câmara, Arthur Lira, afirma que poderia reduzir os preços na bomba em até 8%.

O ICMS é a fonte de receita mais importante para as administrações estaduais. A Federação Brasileira dos Auditores Fiscais dos Estados (Febrafite) acredita que os estados e municípios vão perder R$ 24 bilhões (US$ 4,3 bilhões) em receita por ano.

Apesar dessa medida, o preço de venda da Petrobrás ainda é cerca de 19% menor que o praticado pelo mercado internacional, o que abre margem para futuros aumentos no Brasil. Parece estranho, mas sob essa ótica a gasolina brasileira pode ser considerada “barata” no mercado.

Razões do aumento e o futuro

Com a pandemia de 2020, a demanda mundial por petróleo caiu de 30% a 35% em março e abril daquele ano, pois os consumidores foram obrigados a ficar em casa. 

Os produtores de petróleo lutaram para descobrir como lidar com a queda abrupta na demanda. Tanto o petróleo bruto quanto os produtos refinados foram armazenados em terminais terrestres e em navios petroleiros, mas em abril de 2020, os preços do petróleo bruto fecharam em US$ 37 negativos por barril. Os vendedores tiveram que pagar aos compradores para retirar o óleo.

Isso levou a OPEP a contar com a ajuda de produtores de fora do bloco para cortar a produção a fim de atender à demanda menor. Nunca antes o mundo tinha visto mais de 20 países, conhecidos como OPEP +, agirem para estancar o colapso dos preços e estabilizar o mercado.

À medida que as vacinas eram desenvolvidas e distribuídas, começou a recuperação econômica em todo o mundo, a OPEP +, que havia cortado a produção em quase 10 milhões de barris por dia, teve que tomar decisões. Quando eles devem restaurar a produção e em quanto? 

Em agosto, um plano OPEP + entrou em andamento para restaurar a produção em 400.000 barris por dia a cada mês. Em todo o mundo, os estoques de petróleo bruto e produtos refinados começaram a diminuir. O óleo que havia sido armazenado foi vendido de volta no mercado. Os estoques foram liquidados. O mercado percebeu e os preços do petróleo bruto e, consequentemente, da gasolina subiram.

Mas esta não é a única razão pela qual o petróleo bruto está sendo negociado perto de US$ 80 por barril, mais de US$ 120 por barril desde o abismo de abril de 2020.

O furacão Ida fechou quase 95% da produção de petróleo bruto e gás natural do Golfo do México em seu auge. Estima-se que 60 milhões de barris de petróleo serão perdidos. Os reparos nas plataformas de produção de petróleo não serão concluídos até o final do ano.

À medida que o mundo sai da pandemia, as fábricas ao redor do mundo estão tendo dificuldade em atender à demanda reprimida. A inflação está crescendo. O consumidor vê isso todos os dias nos preços mais altos dos alimentos e da gasolina. Mas parte desse aumento está enraizado em custos mais altos de energia, além do petróleo bruto.

A China liderou a recuperação econômica com suas fábricas limitadas pela quantidade de eletricidade disponível para operar 24 horas por dia, 7 dias por semana. Em setembro, a China ordenou a seus fornecedores de energia que fizessem o que fosse necessário e obtivessem suprimentos de energia. Os preços do carvão e do gás natural subiram em resposta à demanda chinesa.

Os governos de todo o mundo estão preocupados. O que significa que os preços da gasolina, que estão no máximo em oito anos, não devem cair drasticamente tão cedo. O mundo quer mais petróleo, eles querem hoje, e não está lá, pelo menos não ainda. Os preços baixos do petróleo foram curados com a redução da oferta. Os altos preços do petróleo serão curados à medida que a oferta retornar.

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Se você continuar a usar este site, assumiremos que você está de acordo com isso. Aceitar Ler Mais

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->