Farol de Kéréon – o cenário da foto de farol mais intrigante do mundo

O farol que quase foi engolido pelas ondas no final dos anos 80 é o último em estilo monumental da costa francesa.

- Tempo de leitura: 4 minutos -

Uma foto consegue capturar, com exatidão, momentos que fiquem para a história. Porém, o fotógrafo precisa ter o timing perfeito, a destreza de fazer o seu clique na hora certa. Tal dom permitiu a Jean Guichard registrar a foto de farol mais impressionante do mundo – o Farol de Kéréon, na França, quase sendo engolido pelas ondas com um solitário faroleiro em seu interior. Mas, qual é a história do Farol de Kéréon? E quanto ao faroleiro, sobreviveu?

Foto do Farol de Kéréon envolto pelas ondas, com um faroleiro no seu interior (créditos da foto: Jean Guichard)
Foto do Farol de Kéréon envolto pelas ondas, com um faroleiro no seu interior (créditos da foto: Jean Guichard)

Sim, Theophile Malgorn, o faroleiro da foto, sobreviveu e continua no ofício de orientar marinheiros errantes, ainda que em outro farol. Mas, por que ele resolveu abrir as portas do Kéréon no meio de uma tormenta? Em suma, Jean Guichard, especialista em fotografar faróis, sobrevoava a ilha francesa de Ouessant em busca da foto perfeita. Eis que ele enxerga a estrutura de Kéréon sendo golpeada pelas ondas do Atlântico. 

Lá dentro, ouvindo as batidas insistentes das hélices do helicóptero de Guichard, Malgorn saiu à porta para averiguar se tratava de alguma emergência. Foi aí que se deu o registro mais incrível de um farol. 

Por sorte – ou experiência – o faroleiro ouviu as ondas chegando e fechou a porta segundos antes que ele mesmo fosse arrebatado. Pôde, então, seguir sendo personagem da história do Farol de Kéréon, que você vai conhecer agora. 

Conheça o Farol de Kéréon   

O Farol de Kéréon, ou La Jument, tem muito mais história que a quase tragédia envolvendo o faroleiro e um fotógrafo. Afinal, onde fica o Farol de Kéréon? A impressionante construção está a dois quilômetros da ilha francesa de Ouessant, na Finisterra da Bretanha. O farol foi construído entre 1904 e 1911 com o propósito de sinalizar possíveis riscos que causassem um naufrágio. Porém, mesmo sua concepção tem história.

A concepção do Farol

Charles-Marie Le Dall de Kéréon foi um oficial da Marinha Real Francesa guilhotinado  aos 19 anos, em 1794, durante a Revolução Francesa. Um século depois, sua sobrinha-neta, Jules Le Baudry, doou ao Ministério das Obras Públicas 585.000 francos para a construção de um farol entre Molène e Ouessant. A condição era que o monumento levasse o nome do parente falecido. 

Como foi construído o Farol de Kéréon?

Com quase todo o valor estimado para a obra, a administração aceitou a missão e iniciou o trabalho, ainda que em condições adversas. Essa parte da costa tem os mares mais perigosos da Europa, registrando tempestades violentas com ondas enormes e fortes correntes marítimas. Não à toa, mais de 30 navios já naufragaram por ali entre 1888 e 1904. O fato é que a construção foi iniciada em 1904, sobre uma rocha chamada Men Tensel. 

Construção do Farol de Kéréon
A construção do Farol de Kéréon durou 8 anos devido às condições adversas do local

O local fica a sudeste da Ilha Ushant, na Passagem Fromveur, conhecida pelas violentas correntes de maré que chega a 15 km/h. Certamente, perante as circunstâncias extremas, a construção teve seus percalços, a exemplo da morte de seu capataz. Tanto que a obra levou quase dez anos para ser finalizada, diga-se de passagem, como uma residência de luxo. O Farol de Kéréon tem o curioso apelido de Palácio do Submundo, graças ao rico acabamento.

Construção do Farol de Kéréon (La Jument)
Construção do Farol de Kéréon

O farol foi construído em granito, com 48 metros de altura e base de 4 metros de diâmetro. O piso da sala é decorado com rosa-dos-ventos marchetada em ébano e mogno, além de painéis de carvalho húngaro no hall, cozinha e dois quartos. Na “Room of Honor”, localizada no nível 5, as paredes são também revestidas com o mesmo material e tem a estrela dos faróis em relevo. 

O fogo do Farol de Kéréon foi aceso pela primeira vez em 1916 e seguiu trabalhando a óleo até 1972. A partir daí, seu funcionamento passou a ser elétrico e, hoje, o farol é alimentado por baterias, além de dois geradores eólicos. 

O Farol de Kéréon atualmente

Como o farol agora é automatizado, os últimos guardas responsáveis ​​pela operação o deixaram em 2004. Felizmente, o Farol de Kéréon foi classificado como monumento histórico em 31 de dezembro de 2015. 

Ué, mas e o faroleiro da fatídica foto de 1989? Theophile Malgorn enfrentou a terrível frente de baixa pressão que veio da Irlanda, trazendo ondas gigantes de até 30 metros.

Naquele dia 21 de dezembro de 1989, então com 33 anos, Malgorn se escondeu na sala de lanterna até seu resgate. Foi quando ouviu o barulho do helicóptero de Jean Guichard e, por se tratar de um momento de tempestade, pensou ser aviso de algum naufrágio ou acidente. Passada a tormenta, o faroleiro ficou até enfurecido, pois quase perdeu a vida por simples motivos comerciais.

Guichard o visitou, presentando-o com uma foto autografada e, então, os dois se tornaram grandes amigos. Hoje, Malgorn segue no ofício de faroleiro, porém, como controlador do farol de Creac´h, também em Ouessant. Mas, se um dia, passear pela ilha e der a sorte de conhecê-lo, é bom não perguntar sobre a fatídica foto!

O Farol de Kéréon (La Jument)
O Farol de Kéréon (La Jument)

Gostou da história do Farol de Kéréon? Navegue pelo site e saiba mais curiosidades sobre importantes monumentos pelo mundo! 

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.