Conheça a Pedra do Elefante, monumento vulcânico na Islândia

Na terra dos vulcões, a Pedra do Elefante evidencia o caráter geotérmico do país ao sul da ilha.

- Tempo de leitura: 3 minutos -

A Islândia é uma terra de vulcões e, sem dúvida, em Vestmannaeyjar essa característica é ainda mais evidente. Séculos de erupções vulcânicas resultaram em falésias dignas de contos de fadas na costa sul do país. Entre tantas construções naturais, se destaca a Pedra do Elefante, formada pelo vulcão Heimaey. O nome vem do formato da rocha em forma da cabeça de um elefante cuja tromba pousa na água.    

Detalhe da Pedra do Elefante, na Islândia
Detalhe da Pedra do Elefante (Diego Delso, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons)

A forma é tão precisa que parece fruto de intervenção humana. Contudo, trata-se de obra da natureza, uma vez que o penhasco de rocha basáltica possui aspecto enrugado e acinzentado, como um elefante. 

A pedra é visitada em virtude do fácil acesso por balsa. Ademais, o monumento fica na única ilha densamente habitada em Vestmannaeyjar, com aeroporto e um dos campos de golfe mais famosos da Islândia.   

Curiosamente, o elefante não é a única forma vista na pedra. Há quem veja o mítico Cthulhu, monstro marinho com tentáculos no rosto. De fato, a formação rochosa o torna destaque mesmo entre outras esculturas naturais das Ilhas Westman. Saiba mais sobre a Pedra do Elefante, um dos vários monumentos naturais da Islândia. 

Pedra do Elefante (Islândia): Comparação
A semelhança com um elefante impressiona ainda mais pelo fato de ser uma formação rochosa inteiramente natural

Sobre a Pedra do Elefante

Não há consenso sobre a origem da Pedra do Elefante. A  hipótese mais aceita é de que, assim como outras formações rochosas de Heimaey, o monumento veio do Vulcão Eldfell que entrou em erupção várias vezes e segue ativo. 

Em 1973, uma delas causou danos significativos à ilha, de modo que a área portuária foi salva por uma operação de resfriamento que solidificou o avanço da lava com o oceano antes de chegar à costa.

Vulcão Eldfell, Islândia
Vulcão Eldfell

Mesmo que a rocha atraia turistas, Heimaey tem outras várias atrações, por exemplo, avistar as baleias orca. Para ilustrar, Keiko, a orca que estrelou a franquia Free Willy, foi lançada nas águas ao redor de Heimaey. Os passeios que passam pela Pedra do Elefante também possibilitam avistar outros mamíferos marinhos, como golfinhos e outras espécies de baleias.

A ilha também é o lar de 4.000 pessoas e, durante a migração de verão, milhões de papagaios-do-mar. Outra atividade popular é a escalada do Vulcão Eldfell. O cume fica a mais de 180 metros acima do nível do mar, facilitando a acessibilidade mesmo para iniciantes. A ilha também tem trilhas bem demarcadas que levam a um campo de lava que cobria as casas na grande erupção. 

Felizmente, os moradores conseguiram escapar, mas marcadores foram colocados para sinalizar onde era o antigo assentamento. Outras atrações na ilha são: 

  • Visitar o Museu do Vulcão Eldheimar e saber mais sobre a erupção do Vulcão Eldfell
  • Visitar o Aquário Sæheimar e conhecer um verdadeiro papagaio-do-mar!
  • Beber um pouco da cerveja produzida localmente na Cervejaria Brothers
  • Provar o peixe fresco nos restaurantes locais
  • Vale Herjólfsdalur
  • The Folk Museum
  • Heimaklettur Rock

Como chegar à Pedra do Elefante

Para chegar à Pedra do Elefante, primeiro é necessário ir até às Ilhas Westman de barco ou  avião. No verão, é mais provável que o barco saia do porto de Landeyjarhöfn, localizado próximo à cachoeira Seljalandsfoss, em um passeio de 30 minutos. No inverno, o barco parte de Þorlákshöfn, um trajeto de três horas. Mas, o meio mais rápido é inegavelmente de avião. O voo de Reykjavík até as ilhas de Westman leva apenas 25 minutos. 

Chegando às Ilhas Westman, será preciso reservar um passeio Rib Safari ou de barco pela ilha, uma vez que não se chega à Pedra do Elefante caminhando. Próximo à Pedra do Elefante, há hotéis, pousadas e acampamentos.  

Gostou de saber mais sobre a  Pedra do Elefante? Conheça também sobre outras atrações em várias partes do mundo. 

Você pode gostar também
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.