Como funcionará o Saque e Troco via PIX? Funcionalidades chegam dia 29/11!

Novas modalidades do Pix entraram em vigor no dia 29 de novembro.

- Tempo de leitura: 2 minutos -

No fim do mês de novembro o Banco Central vai liberar o Pix Saque e o Pix Troco. A novidade vai permitir que a população saque dinheiro em outros locais além de caixas eletrônicos habilitados com a função.

O Pix Saque e o Pix Troco poderão ser realizados em qualquer estabelecimento comercial que se cadastre na plataforma. Supermercados, postos de combustíveis, farmácias e diversos outros estabelecimentos podem participar. Todas as novidades fazem parte da Agenda Evolutiva do Pix, série de medidas estabelecidas pelo Banco Central.

Os procedimentos para o Pix Saque são muito simples. Basta que você vá até um estabelecimento credenciado, peça para realizar o Pix saque e faça um Pix para a loja. O Pix poderá ser feito por meio de um QR Code, que poderá ser lido pelos clientes.

Já quando se trata do Pix Troco, os procedimentos são parecidos. Quando o cliente fizer uma compra, ele poderá passar um valor ao comerciante superior ao itens comprados. O troco será devolvido ao cliente em dinheiro.

“O benefício mais palpável é para o cidadão. O cidadão tem uma alternativa a mais para ele fazer o serviço de saque. Por mais que você digitalize, os pagamentos de operações vão ser feitos através de numerário [em dinheiro], isso acontece nas economias mais digitalizadas. E você dá o conforto e a conveniência para o cidadão ter ali perto da sua residência, do seu trabalho, no seu percurso da casa para o trabalho, no local onde ele faz as compra do dia a dia, um local onde ele pode fazer o saque”, disse em nota para imprensa o chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Ângelo Duarte.

Limites

Existirá um limite para operações do Pix Saque e Troco. Durante o período matutino e vespertino, será permitido operações com limite de até R$ 500. Já durante o período noturno o saque ou troco estará limitado a R$ 100. Por questões de segurança, os estabelecimentos podem ajustar esses valores abaixo do máximo permitido pelo Banco Central.

“Em relação ao comércio, a gente identifica um conjunto de benefícios muito expressivos com a possibilidade de ofertar desse produto. Num primeiro aspecto, o aumento do fluxo de clientes, ou seja, as pessoas, precisando realizar um saque, vão entrar naquele estabelecimento comercial e vão também poder aproveitar a sua necessidade de realizar um saque e, eventualmente, adquirir o que o comércio oferece na sua dinâmica tradicional”, destacou o chefe da Gerência e Gestão e Operação do Pix do Banco Central, Carlos Eduardo Brandt em nota para imprensa.

Você pode gostar também

Comentários estão fechados.

Este website utiliza cookies para tornar sua experiência ainda melhor! Se você continuar a usar este site, assumiremos que você está de acordo com isso. Aceitar Ler Mais

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->