Castelo de Eltz – história e fatos interessantes sobre a construção alemã

Uma das poucas construções medievais ainda de pé, o Castelo de Eltz mais parece um cenário de Game of Thrones.

O Castelo de Eltz, na Alemanha, é um dos poucos representantes da era medieval em termos de construção. A fortaleza situada em Wierschem está estrategicamente aninhada nas verdes e onduladas colinas próximas ao Rio Moselle. Digna de um cenário de Game of Thrones, a fortaleza oferece história exemplar, além de fatos inusitados que você vai conhecer a partir de agora. 

Ainda que não se saiba, exatamente, quantos anos tem o Castelo de Eltz, estima-se que tenha sido construído no século XI, durante a dinastia Stauffer. Embora a maioria dos castelos antigos tenha sido demolida durante algum dos vários conflitos europeus, o exemplar alemão segue intacto. Decerto, uma das causas seja sua posição estratégica no topo de um vale.

Fachada do Castelo de Eltz, na Alemanha
O Castelo de Eltz é um dos poucos exemplares de castelos europeus que passaram praticamente intactos pelos conflitos da época

Mesmo que esteja sob a propriedade da família Eltz desde 1157, passou por ataques e dramas familiares. 

A história do Castelo de Eltz

A princípio, os registros relativos à família Eltz no burgo datam de 1157, quando Rudolph von Eltz foi citado como testemunha em ato de doação associado ao imperador Friedrich I Barbarossa. Burg Eltz, então, foi construído em posição estratégica ao longo do rio Eltz, afluente do rio Mosel. A propósito, tratava-se de uma rota popular que ligava o rio Mosel ao lendário Rio Eiffel. 

O castelo foi construído no topo de uma rocha de 70 metros de altura, o que proporciona vista impressionante do Vale Elsbach e do Rio Eltz. O rio, inclusive, corre em torno da base do castelo por três lados. 

Castelo de Eltz no alto da rocha
O Castelo de Eltz tem uma posição privilegiada que permite uma visão ampla da região ao redor

Apesar de aparentemente protegido, o Castelo Eltz infelizmente não saiu ileso dos vários conflitos dos quais a Europa foi palco. Só para exemplificar, o Arcebispo da Diocese de Trier chegou a sitiar a cidadela para atacá-la com catapultas, como veremos mais adiante. 

A batalha entre a família Eltz e o arcebispo durou cerca de dois anos, até que os cavaleiros livres de Burg Eltz fossem forçados a abdicar de sua própria liberdade. 

Disputa familiar

No século XII, mais precisamente em 1268, os três irmãos se desentenderam e dividiram a própria família em três grupos. Após a divisão, os novos grupos foram chamados de Eltz-Kempenich, Eltz-Rübenach e Eltz-Rosendorf, construindo suas casas e torres no castelo nos 400 anos seguintes. 

No entanto, mesmo separadas, as famílias seguiram residindo no castelo, então apelidado de Ganerbenburg, até o século XVII. Assim, Burg Eltz se tornou um complexo no qual as famílias compartilhavam as áreas comuns, incluindo o pátio, o poço e a capela, ainda que mantivessem seus aposentos privados. A partir do início de 1800, o Burg Eltz tornou-se propriedade exclusiva dos Eltz-Kempenich.  

Conflitos militares

Embora exista há quase 900 anos, Burg Eltz viu pouca ação em conflitos militares. O único evento significativo ocorreu no século XIV, quando o Príncipe Eleitor Balduin de Trier, tio de Carlos IV, tentou impor a paz em seu distrito enquanto os cavaleiros livres do Sacro Império Romano acreditavam que isso violava os seus direitos à guerra privada. Em 15 de junho de 1331, os cavaleiros de vários castelos, incluindo Burg Eltz, formaram uma aliança contra ele. 

Mais tarde, Balduin ergueu um cerco fora de Burg Eltz e bombardeou o castelo com pesadas bolas de pedra. Também cortou todas as linhas de abastecimento, forçando os cavaleiros a ceder. Em 1354, o imperador Carlos IV deu Burg Eltz como feudo a Balduin. Assim, os cavaleiros livres de Burg Eltz tornaram-se vassalos e tomaram Burg Eltz como posse feudal.

Reformas

A primeira grande reforma do Castelo Eltz aconteceu no século XIX, durante a qual o conde Karl Zu Eltz garantiu que a torre permanecesse fiel ao autêntico estilo medieval. A construção durou de 1845 a 1888. Posteriormente, a fortaleza recebeu retoques por danos estruturais de 2009 a 2012. Nisso tudo, vários salões, paredes, alpendres e tetos foram reforçados e restaurados.

O aquecimento interno, banheiros, janelas e alarmes de incêndio, por exemplo, foram renovados, assim como o gesso antigo foi reinstalado. A família Eltz recebeu dois milhões de euros do governo alemão para finalizar as reformas. Atualmente, o castelo consiste em oito torres com alojamentos agrupados em torno de um pátio interno.   

O Castelo de Eltz hoje

Visitar o Castelo Eltz é como viver um conto de fadas encantador. Só para ilustrar, dá para ouvir o canto dos pássaros durante uma caminhada pela floresta que, de repente, se abre no penhasco com vista para Eltz. 

Com edifícios em estilo Tudor e telhados em forma de cone, Burg Eltz é um dos mais belos castelos da Alemanha. Contudo, a única maneira de ver seu interior é comprando ingressos para uma visita guiada na loja de presentes. 

O passeio começa no pátio e continua até o arsenal, que contém trajes, armaduras e armas, incluindo lanças usadas em torneios, bem como itens medievais requintados. 

Também inclui uma visita ao Salão dos Cavaleiros, quarto com itens notáveis, incluindo armaduras que datam do século XVI, bem como pinturas em painéis que representam cenas do Antigo Testamento. Além disso, o Salão dos Cavaleiros é adornado com o brasão de armas da família Eltz. 

Depois de fazer o passeio pelo castelo, não deixe de visitar a Câmara do Tesouro, onde há extensa coleção de belas-artes e tesouros coletados pela família Eltz por quase 900 anos. O acervo inclui ouro e ourivesaria, moedas, medalhas, armas, armaduras, objetos sagrados, joias, além de outros itens de valor e significado histórico. 

Castelo de Eltz, na Alemanha: Câmara dos Tesouros
Câmara dos Tesouros

Na própria loja de presentes, o visitante encontra uma ampla seleção de itens muito interessantes. Além da loja de presentes, Burg Eltz inclui dois bons restaurantes.

Por se tratar de uma propriedade privada, algumas regras devem ser seguidas pelo visitante, dentre elas a proibição de tirar fotos ou realizar filmagens em algumas partes do Castelo. Somente é permitida a filmagem e fotos apenas do exterior, no pátio e na Câmara do Tesouro.

Fatos e curiosidades sobre o Castelo de Eltz

  • O Castelo Eltz pertence à mesma família há 33 gerações, isto é, desde 1157.
  • O castelo foi apelidado de “Ganerbenburg”, alusão a um castelo onde várias famílias viviam. 
  • Na primeira grande reforma, foram investidos o equivalente a 15 milhões de euros. 
  • O Salão dos Cavaleiros (Knights Hall), onde os cavaleiros de Eltz realizavam seus encontros, estão repletos de cabeças de bobo da corte em suas paredes. 
  • Os bufões (mais conhecidos como “bobos da corte”) representam a liberdade de expressão, pois podiam brincar sobre qualquer coisa sem serem punidos. Também tinham como objetivo alertar as pessoas para o crescimento de seus próprios egos. Isso porque, na Era Medieval, sabedoria e tolice, bem e mal eram vistos lado a lado.
  • O Burg Eltz hospedou muita gente famosa, como o imperador Frederico II, o grão-duque e a grã-duquesa de Luxemburgo e o poeta francês Victor Hugo. Também dormiram por lá o pintor inglês William Turner, três presidentes alemães (Karl Carstens, Horst Köhler e Christian Wulff), além de duas primeiras-damas dos Estados Unidos (Bird Johnson e Rosalynn Carter).
  • Burg Eltz é um dos poucos castelos do Reno nunca destruído. Como resultado de uma diplomacia habilidosa, evitou conflitos durante a Guerra dos Trinta Anos, quando a maioria dos castelos do Reno foi destruída pelos franceses.

O Castelo de Eltz é uma raridade ainda intacta no território alemão. Com certeza, vale uma visita durante sua próxima viagem pelo país. 

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.